Seu filho quer um pet? Conheça os benefícios que um animal de estimação pode trazer

Especialistas também indicam como você deve se preparar para a chegada desse novo integrante da família

Categorias

Compartilhe

Resumo da Notícia

  • Ter um animal de estimação pode ajudar – e muito – no desenvolvimento das crianças
  • Sejam cães, gatos, peixes ou outros animais, a rotina de cuidados ajuda a criar senso de responsabilidade
  • Saiba como preparar sua casa para receber um pet e quais os primeiros cuidados que você precisa ter com ele

É fato: animais de estimação mudam o astral de uma casa – e podem se tornar grandes companheiros do seu filho. Um amigo de quatro patas dá trabalho, sim, mas pode ser de grande ajuda no desenvolvimento da criança. Tomando os cuidados necessários, desde a escolha até a divisão de tarefas, ter um pet como novo membro da família será uma experiência incrível!

Entre os diferentes animais de estimação, cães e gatos são mais comuns. Os cães, em geral, são mais amigáveis, enquanto os gatos são mais independentes, introvertidos. Mas também existem outras possibilidades: pássaros, peixes e porquinhos da Índia também têm sido escolhidos por diversas famílias, e as crianças podem (e muito!) ajudar nos cuidados desses animais também.

Ter um animal de estimação pode fazer a diferença no desenvolvimento do seu filho (Foto: Unsplash)

Antes de levar um animal de estimação para casa, algumas precauções devem ser tomadas. A primeira delas é analisar com carinho o ambiente disponível na casa para o bichinho: não adianta querer ter um labrador ou outro cão de grande porte em um apartamento pequeno! “A limitação de espaço fará com que o animal se sinta entediado, e a quantidade de sujeira por metro quadrado será maior”, comenta Alexandre Merlo, veterinário e gerente técnico de Animais de Companhia da Zoetis.

Além do espaço físico, é importante pensar nas pessoas: quem estará em casa com o pet? Ou ele passará mais tempo sozinho? A solidão também estressa os bichos – até mesmo os gatos, considerados mais independentes. Também é necessário levar em conta quanto tempo será disponibilizado na semana para levar o animal para passear; o ideal, principalmente para cães, é uma vez ao dia.

-Publicidade-

Também é preciso acompanhar de perto a saúde do novo integrante da casa. Assim como os humanos, os animais também precisam passar por um check-up anual – e não apenas visitar o veterinário quando estão com algum problema. “No momento da compra ou adoção de um animal, é muito importante verificar a procedência dele. Por exemplo, se um cão é filhote de uma cachorra que morreu de problema no coração, ele poderá vir a desenvolver o mesmo problema no futuro, e precisará de acompanhamento médico mais frequente”, afirma Alexandre Merlo. O especialista também indica que, assim que estiver com o bichinho em casa, leve-o ao veterinário para uma primeira consulta e verificação das vacinas.

E, já que o assunto é saúde, vale reforçar que os pets podem contribuir muito para o desenvolvimento da criança, além de auxiliar na melhora e proteção da saúde delas, produzindo benefícios que vão acompanhá-las por toda a vida. “O contato saudável com animais desde cedo faz com que o sistema imunológico dos pequenos se fortaleça e fique bem menos propenso a condições como alergias crônicas e até mesmo asma”, comenta Thaís Matos, veterinária da DogHero. E então: preparado para ter um bichinho em casa?

Como seu filho pode ajudar a cuidar do animal de estimação

  • Verificar se os potes estão abastecidos de comida e água;
  • Indicar se o jornal, tapete higiênico e/ou caixa de areia estão sujos. Se for uma criança maior, ela mesma pode limpar;
  • Acompanhar o adulto nos passeios com o pet.