Seu filho com um cérebro mais positivo – sim, é possível!

Livro ensina como tornar seus filhos menos teimosos e mais flexíveis

Categorias

Compartilhe

Você conhece esta cena: ao lidar com algo ou alguma situação que a desagrada, a reação da criança é chorar, gritar ou fazer birra. Isso acontece porque vivemos em um ambiente muito mais propenso a atitudes negativas do que positivas, a dizer mais “não” do que “sim”. Só que temos uma boa notícia para os pais: é possível mudar a programação do cérebro dos seus filhos, criando crianças mais flexíveis e resilientes.

Quem comprova isso é Daniel J. Siegel, neuropsiquiatra especialista em comportamento infantil, autor do best seller ‘O cérebro da criança’ (Editora nVersos, R$ 29,00). Em seu novo livro, ‘O cérebro que diz sim’ (Editora Planeta, R$ 46,90), em parceria com Tina Payne Bryson, Siegel define que o cérebro positivo é aquele que aceita desafios, busca crescimento, gentileza e atenção às pessoas ao seu redor.

Na maior parte do tempo, as crianças se comportam mal porque não conseguem controlar suas emoções, e não porque não querem fazê-lo. Portanto, de acordo com o especialista, antes de começar a dar lições ou lhes dizer o que espera deles, seus filhos precisam que você os ajude a encontrar o equilíbrio. E isso começa com os próprios pais tomarem a decisão de pensar mais positivamente. “Ao desenvolver a consciência interna, os pais podem aprender a ser mais positivos e flexíveis, a estar mais presentes na vida dos filhos e a ter mais resiliência diante do estresse”, afirma Siegel, em entrevista exclusiva ao Bebê em Foco.

-Publicidade-

Uma parte importante no desenvolvimento de um cérebro que diz “sim” é permitir que as crianças enfrentem seus problemas, decepções e outras emoções negativas – e até mesmo que fracassem. É assim que elas criam coragem e perseverança. Por causa do nosso profundo amor por eles, queremos protegê-los, mas seu desenvolvimento será maior se permitirmos que o amor nos dê coragem para nos sentirmos suficientemente fortes e, assim, deixar que as crianças descubram sua própria força.

Por consequência, uma criança que pensa de forma positiva é menos teimosa. “Ao ver uma maneira de ser flexível, um cérebro positivo pode ajudar as crianças a serem menos teimosas e mais adaptáveis!”, comenta o especialista.