Quero engravidar, e agora? Como se preparar e aumentar suas chances de ter um bebê

Criar hábitos mais saudáveis e estar atenta à sua ovulação são algumas das dicas dos especialistas

Categorias

Compartilhe

Resumo da Notícia

  • Se você está pensando em engravidar, alguns cuidados são essenciais para que você e seu futuro bebê estejam saudáveis
  • Fazer exercícios regularmente e uma alimentação rica em ácido fólico são dicas importantes nesse processo
  • Aprenda a identificar seu período fértil e use o calendário a seu favor

E, de repente, ela vem: a vontade de ser mãe. Pode ser que você nunca tenha pensado nisso antes, pode ser também um sonho antigo. Seja qual for a sua relação com a maternidade, se você está pensando em engravidar, precisa tomar alguns cuidados e se preparar para uma das maiores mudanças da sua vida: a chegada do seu filho.

O primeiro passo é se preocupar com a sua saúde. Faça exercícios regularmente, para ajudar na manutenção do peso e fortalecer seu corpo – isso trará diversos benefícios para ter uma gestação mais tranquila, melhorando sua postura, prevenindo dores lombares e reduzindo o inchaço nas pernas. Praticar atividades físicas também reduz o risco de doenças graves, como o diabetes gestacional e a hipertensão. “Outra dica é diminuir o consumo excessivo de álcool, que pode alterar o ciclo menstrual e dificultar a ovulação, e abandonar o tabagismo”, orienta Renato de Oliveira, ginecologista e fertileuta da Criogênesis.

Engravidar: especialistas dão dicas certeiras para você se preparar para ter um bebê (Foto: Unsplash)

Também comece a ficar de olho no seu prato. Futuras mães precisam receber uma dose extra de vitaminas para que seu bebê se desenvolva com saúde. Portanto, consuma alimentos ricos em ácido fólico, como verduras escuras (couve, escarola, espinafre), batata, feijão, lentilha, ervilha, ovo, laranja, limão e tangerina. Alguns médicos recomendam, inclusive uma ingestão extra de ácido fólico desde a fase tentante, mas consulte seu ginecologista antes de aderir a qualquer suplemento de vitaminas!

Se você pretende engravidar, seu ginecologista deve estar envolvido neste processo desde o começo. É um ótimo momento para fazer uma avaliação geral de sua saúde e esclarecer todas as dúvidas. Converse com o médico sobre seu histórico de doenças pessoais e gestações anteriores, caso você já tenha sido mãe antes. Também é recomendado estar em dia com as vacinas contra rubéola, sarampo, coqueluche, hepatite B e tétano. “As três últimas podem ser feitas na gravidez, se necessário. A vacina contra influenza está indicada para todas as gestantes. Existem períodos certos para a vacinação, sendo necessário, portanto, seguir a orientação médica”, alerta o ginecologista.

-Publicidade-

Depois de preparar o seu corpo para receber um bebê com saúde, é hora de falarmos sobre relações sexuais. O ideal é que você identifique seu período mais fértil, o momento em que a mulher está mais propensa a engravidar: “esse período ocorre cerca de 14 dias antes da menstruação e dura em média 6 a 7 dias. Já a ovulação varia de mulher para mulher, e é mais fácil de ser calculado quando o ciclo menstrual é regular”, afirma Erica Mantelli, ginecologista, obstetra e especialista em saúde sexual. A especialista ainda acrescenta que fazer sexo todos os dias não é sinônimo da confirmação de uma gravidez, mas escolher por datas certas pode aumentar essa chance. Se a mulher tiver um ciclo de 28 dias o 14º dia do ciclo menstrual é uma boa opção.

Anotou todas as dicas? Então preste atenção pois agora vem a mais importante delas: não se pressione tanto caso não consiga engravidar nas primeiras tentativas. Cada mulher é única. Os especialistas afirmam que 84% dos casais engravidam naturalmente dentro de um ano se eles fizerem sexo sem proteção regularmente, por isso espere pelo menos 12 meses antes de procurar um médico. “Caso você tenha algum problema de fertilidade ou já tenha passado dos 36 anos vale a pena considerar pedir ajuda profissional antes. Um em cada sete casais tem problemas para engravidar. Então, não hesite em pedir por ajuda se sente que algo está errado”, finaliza Erica Mantelli.