Puerpério: veja tudo o que é preciso saber sobre esse momento

Após o parto, muitas mudanças acontecem em um curto espaço de tempo. É preciso entender o puerpério para lidar bem com esse processo

Autor

Categorias

Compartilhe

Resumo da Notícia

  • Após o parto, muitas mudanças acontecem em um curto espaço de tempo;
  • As transformações são físicas e psicológicas que marcam as transições do corpo;
  • Esse período se chama Puerpério – e o Bebê em Foco te explica tudo o que é preciso saber sobre esse momento.

Após o parto, muitas mudanças acontecem em um curto espaço de tempo. As transformações são físicas e psicológicas que marcam as transições do corpo. Descobrir como cuidar do filho e lidar com essas sensações não é fácil. Ainda mais porque, tudo isso, acontece nos primeiros meses pós-parto. Esse período se chama Puerpério – e o Bebê em Foco te explica tudo o que é preciso saber sobre esse momento.

É importante saber tudo sobre o puerpério (Foto: Freepick)

O que é puerpério?

Conhecido popularmente como quarentena ou resguardo, a fase dura cerca de 45 dias.  Durante os nove meses da gestação o organismo feminino passa por inúmeras transformações, todas para que o bebê cresça saudável no útero materno. O dicionário define como: “período que decorre desde o parto até que os órgãos genitais e o estado geral da mulher voltem às condições anteriores à gestação”.

Saiba o que é o puerpério (Foto: Freepick)

 

Contudo, após o parto, essas mudanças não param e esse período, para muitas, é considerado o mais complicado de todo o processo da maternidade, pois além das transformações físicas, o psicológico também é abalado e muitas mães não sabem o que fazer nesse momento.

Estudos mostram que obstetras e ginecologistas não têm o costume de instruir mulheres o suficiente sobre as possíveis complicações do pós-parto – mas estar informada é fundamental para passar pelo puerpério da forma mais tranquila possível.

Quais são as fases do puerpério?

Existem três fases que caracterizam esse período. O puerpério imediato, que acontece nos dez primeiros dias após o nascimento do bebê. Nessa fase, a mãe perde peso rapidamente, percebe alterações hormonais e sangramentos parecidos com a menstruação.

Conheça as fases do puerpério (Foto: Freepick)

No puerpério tardio, que acontece do 11º ao 42º dia – as alterações de humor continuam em andamento e a produção de leite aumenta progressivamente. Já o puerpério remoto começa a partir do 43º dia pós parto. A duração desta etapa é imprecisa, dependendo da amamentação.

O puerpério é uma fase normal, e para saber lidar com as mudanças desse período é importante um acompanhamento médico. O especialista irá avaliar se as condições de cada etapa estão normais e orientar a melhor forma de transição de acordo com cada caso. O apoio emocional de amigos e familiares nessa fase também é fundamental.

Sexo pós parto?

Um dos grandes tabus durante esse período é o sexo. Em entrevista a Pais&Filhos, a ginecologista e obstetra Erika Narimatsu, da Clínica Gynari assistência médica, afirma: “As relações sexuais são liberadas pelo ginecologista, em média, 40 dias após o parto”. 

“Este é o tempo que o organismo da mulher leva para se recuperar e é importante seguir essa orientação”, adverte a médica. Isso porque é comum a mulher ter um ressecamento vaginal por causa das alterações de hormônio durante a fase de amamentação, o que acaba gerando um certo desconforto na relação sexual – então, respeitar esse momento é fundamental.

O que fazer?

Existem alguns sintomas do pós parto que preocupam – mas, de acordo com a Pais&Filhos, basta saber o que fazer para resolver ou pelo menos, diminuir as preocupações.

Sintomas pós parto (Foto: Freepick)

Se você não conseguir segurar o cocô: manchar as calcinhas é super normal durante o puerpério. Então não sinta vergonha!  A di­ficuldade em controlar os gases ou o intestino nas primeiras semanas é a consequência de um bebê pressionando seus músculos pélvicos e nervos, e da força de empurrar a criança durante o parto. Com o tempo, os tecidos pélvicos se recuperam e a situação melhora – mas se os sintomas persistirem, vá ao médico.

Se as hemorróidas não sumirem: fique calma! Se você escapou dessa fase durante a gravidez, saiba que as hemorroidas também são normais no pós parto.  Os sintomas incluem inchaço, desconforto, comichão ou, nos casos mais graves, dor aguda ou sangramento ao fazer cocô. Mas dá para curar e diminuir as inflamações – com o uso de almofadas e aumento da ingestão de fibras e água.

Se seu rosto ficar cheio de espinhas: cerca de 30% das novas mães têm acne cística, aquela que é grande, vermelha e dolorosa; e espinhas, que são menores que cistos, mas também são infecciosos. Mas, por pior que elas possam parecer, lembre-se: nunca as estoure – afinal, as acnes desaparecem, mas as cicatrizes não. Se os sintomas se intensificarem, procure seu dermatologista, porque existem remédios para quem amamenta.

Vá ao médico durante o pós-parto

Ir ao médico é muito importante para saber como está a saúde da mãe e do bebê; avaliar a amamentação e o sangramento vaginal; observar a cicatrização e retirar pontos, se necessário; examinar o bebê, vacinar e realizar o teste do pezinho; discutir se deseja ou não uma nova gravidez e falar sobre os métodos anticoncepcionais.

Nessas consultas, é importante que o pai do bebê também participe – assim, fica mais fácil entender e participar desse momento com a mulher.