Obesidade infantil: combata esse mal em 5 passos

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, 75 milhões de crianças podem apresentar sobrepeso até 2025, caso nada seja feito

Categorias

Compartilhe

Resumo da Notícia

  • A obesidade infantil é uma realidade, mas com atitudes conscientes podemos reverter esse quadro
  • Caso nada seja feito, a previsão é de que 75 milhões de crianças estejam acima do peso até 2025
  • Especialista em nutrição dá cinco dicas para combater a doença

A obesidade infantil não pode e nem deve ser ignorada. De acordo com o IBGE, uma em cada três crianças está acima do peso recomendado. A identificação precoce da obesidade infantil e a introdução de um tratamento adequado são fundamentais para evitar que uma criança obesa se torne um adulto obeso no futuro. A Organização Mundial da Saúde (OMS) projeta que até 2025 o número de crianças com sobrepeso e obesidade no mundo poderia chegar a 75 milhões, caso nada seja feito.

Obesidade infantil: especialista dá dicas para identificar e combater a doença (Foto: Unsplash)

De acordo com Isabela Lorizola, consultora em nutrição da Associação Brasileira das Indústrias de Biscoitos, Massas Alimentícias e Pães & Bolos Industrializados (ABIMAPI), a conscientização dos pais é essencial para a reversão desse quadro preocupante. “A probabilidade de uma criança gorda tornar-se um adulto acima do peso é enorme. Isso porque o número de células adiposas, que retêm gordura, conhecidas como adipócitos, é geralmente definido até os 20 anos. Depois dessa idade, a diminuição da quantidade dessas células pode ser prejudicada, sendo mais difícil de perder”, explica a especialista.

Dados da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (ABESO) apontam que esse quadro pode estar relacionado com sedentarismo, peso ao nascer, aleitamento materno, obesidade dos pais e fatores do crescimento. “A família deve ficar atenta também a comportamentos que possam causar distúrbios alimentares, como ansiedade e depressão na adolescência”, complementa Isabela.

-Publicidade-

Não é possível determinar um valor fixo para você saber se o seu filho ou filha está obeso: isso varia de acordo com a idade, gênero e altura da criança. Para chegar ao resultado preciso, é necessário calcular o Índice de Massa Corporal (IMC). Esse cálculo é diferente entre crianças e adultos e segue uma tabela da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Caso seja comprovado que seu filho está acima do peso considerado ideal, a nutricionista dá seis dicas para o tratamento. Confira abaixo:

  • Reeducação alimentar: adotar uma dieta balanceada, que forneça todos os nutrientes em quantidades suficientes, sem excessos.
  • Diminuição progressiva das calorias: dietas muito restritivas não são recomendadas nestes casos. O ideal é diminuir progressivamente as calorias, levando em consideração a qualidade dos nutrientes.
  • Entender a importância de cada refeição: café da manhã, almoço e jantar são as principais refeições do nosso dia e não podem ser substituídas por alimentos que tragam maior teor calórico e menor valor nutricional. Já os lanches podem ser mais leves, compostos por bolachas e frutas.
  • Horários e frequência das refeições: nosso organismo também apresenta um “relógio” e a criação de uma rotina com horários para as refeições contribui para um melhor funcionamento do intestino, por exemplo. Também evita que a pessoa fique longos períodos sem comer.
  • Tratamento farmacológico: na ausência de todos os outros tratamentos e somente com acompanhamento médico especializado. É indicado exclusivamente em último caso.