Material escolar: dicas para economizar e garantir compras nota 10!

Pesquisa de preços e reaproveitar produtos dos anos anteriores ajudam a reduzir o valor da compra

Categorias

Compartilhe

Resumo da Notícia

  • Pesquisar preços é fundamental para economizar na compra de material escolar
  • Fique atento às formas de pagamento oferecidas pelas lojas, para garantir bons descontos
  • Confira os materiais de seu filho antes de sair às compras; você pode reaproveitar itens e, assim, economizar

Janeiro chega e, com o primeiro mês do ano, vem as contas a pagar. IPTU, IPVA, férias… e o material escolar das crianças. Contudo, é possível economizar e garantir produtos de qualidade a bons preços – basta saber pesquisar e reaproveitar!

De acordo com José Dutra Vieira Sobrinho, especialista em matemática financeira e membro efetivo do Conselho Regional de Economia de São Paulo (CORECON), a pesquisa de preços é fundamental quando o assunto é material escolar. “Os preços oscilam muito de loja para loja, por isso é importante pesquisar em, no mínimo, três estabelecimentos diferentes”, afirma o especialista.

Volta às aulas: pesquisa de preços e reaproveitar produtos ajudam a economizar (Foto: Unsplash)

Para isso a internet ajuda, e muito – mas o ideal é finalizar a compra em lojas físicas. “Comprando diretamente nas lojas você consegue escolher e avaliar a qualidade do material, para não ter surpresas e, consequentemente, futuros gastos desnecessários”, diz o professor de matemática financeira. Alguns itens importantes da lista, como borracha, apontador e massa de modelar, entre outros, precisam ter o selo do INMETRO. A certificação é obrigatória e garante a qualidade e segurança do produto para uso das crianças. Vale lembrar que produtos importados também precisam da validação do INMETRO, com a certificação adesivada em português.

Na hora de pagar, o especialista faz um alerta importante: “Fique atento às diferentes formas de pagamento que as lojas oferecem. Muitas dão desconto para pagamento à vista, afinal o lojista também se beneficia, pois recebe o valor integral no ato da compra.” Outra sugestão é se reunir com outras mães e pais e ir às compras em conjunto; muitas lojas oferecem bons descontos para compras com grande volume.

-Publicidade-

Outra boa dica é analisar atentamente a lista de materiais antes de sair às compras. Verifique se há produtos que seus filhos já possuem em casa e que podem ser usados novamente, como réguas e tesouras. Também vale confirmar com a escola se todos os materiais na lista são essenciais para as atividades que seu filho vai desenvolver ao longo do ano letivo. E aqui, vale o alerta: de acordo com o PROCON-SP, a escola não pode solicitar a compra de materiais de uso coletivo – como, por exemplo, material de higiene e limpeza – ou cobrar taxas para suprir despesas com água, luz e telefone. “Entende-se que esses custos estão embutidos no valor pago por matrícula e mensalidades”, diz o professor Dutra. A escola também não pode exigir que você compre produtos de uma marca ou loja específicas.

Uma dúvida que sempre surge na hora da compra do material escolar é: levar ou não os filhos? Em geral, materiais com personagens, logotipos e acessórios licenciados são bem mais caros – mas acabam sendo os preferidos das crianças, que querem levar os produtos estampados com seus personagens favoritos para a escola. Nesse caso, vale a negociação antes de sair de casa: se os cadernos serão de algum tema específico, a mochila será neutra, ou o contrário. Assim, você consegue economizar em alguns itens e investir um pouco mais em outros.