Leitura durante a gravidez: crie um vínculo valioso com seu bebê

Conheça os benefícios de ler para o seu filho enquanto ele ainda está dentro da barriga

Categorias

Compartilhe

Você não precisa esperar seu filho nascer para contar histórias para ele. Aliás, é interessante que você comece antes, bem antes – mais precisamente, na 20ª semana de gestação, quando o feto já consegue ouvir dentro do útero. Ler durante a gravidez ajuda o bebê a se familiarizar com a sua voz, ou com a voz do pai ou de outras pessoas importantes, e é uma atividade que pode ser prazerosa para seu filho e para você também.

Leitura durante a gravidez: desenvolva esse hábito! (Foto: Joel Muniz/Unsplash)

“Mesmo nessa fase tão inicial da vida, o bebê já é capaz de criar memórias, recordações. Por isso, contar histórias é uma excelente forma de estabelecer um vínculo com seu filho. Ele ouve a voz da mãe o tempo todo, então a contação de histórias pode e deve se estender para outros familiares próximos”, explica Sarah Helena de Souza Silva, analista de Curadoria e Conteúdo da PlayKids.

A especialista também pontua que ler e conversar com seu bebê durante a gravidez são interações diferentes: a fala é contínua, a leitura tem suas pausas, um ritmo diferente de interpretação, que faz toda a diferença para a criança. A entonação que usamos ao contar uma história não é a mesma que utilizamos em uma simples conversa. Outra questão importante é a repetição: deve-se criar uma rotina de leitura para o bebê, para que ele se acostume com esse momento especial. “Cada mãe pode criar sua rotina, mas o ideal é que a leitura durante a gravidez tenha uma frequência certa: pode ser todo dia ou em dias alternados, por exemplo”, comenta Sarah Helena.

-Publicidade-

Mas que história escolher para contar ao seu bebê? Pode-se pensar, num primeiro momento, que o ideal é escolher um livro infantil, mas isso não é exatamente necessário. “A mãe pode ler algo que ela gosta, como um livro de contos ou de poesias. O importante é que ela sinta prazer com o que está lendo e faça a interpretação dessa história, contando para o bebê. Ele não vai entender as palavras, mas sabe que algo está sendo contado para ele”, afirma a especialista da PlayKids.

Sarah Helena acredita que contar histórias para o seu bebê desde a gravidez pode fazer com que, no futuro, ele seja uma criança mais atenta e que desenvolva o gosto pela leitura, pois se interessará por ouvir e ler novas histórias. Só que os benefícios também se estendem para a mãe. “Muitas grávidas nos procuram interessadas em começar a ler ou montar uma biblioteca para o filho que esperam, mas elas próprias não tem o hábito da leitura. Isso acaba se desenvolvendo ao longo da gestação, contando histórias para o filho. Muitas mães são criadas em ambientes em que os livros são vistos como obrigação, não como algo prazeroso, e isso pode mudar nesse processo”, diz Sarah Helena.