Do berço para a cama: faça a transição sem neuras

Com cuidado e carinho, a hora de dormir vai ser cada vez mais tranquila

Categorias

Compartilhe

Enfim chegou o esperado momento: você sonhou e montou o quartinho do seu bebê com todo cuidado, pensando em cada detalhe e é a hora de ver seu filho dentro dele. Mas como convencer a criança, que passou meses dividindo o espaço com os pais, a ficar sozinha em seu espaço? Fique calma, pois trazemos dicas de ouro para que seu filho se adapte sem problemas ao novo quarto – e, depois de um tempo, saia do berço e mude para uma pequena cama. Vamos lá?

O ideal é que a mudança do quarto dos pais para o quarto do bebê aconteça quando seu filho tiver mais de 6 meses; antes disso é até melhor que vocês estejam no mesmo espaço, seja em cama compartilhada ou com o berço dentro do quarto, para facilitar os processos. E depois de passarem tanto tempo juntos, faz sentido que, neste período de adaptação, a mãe ou o pai durmam algumas noites no quarto do bebê, para que ele não se sinta tão sozinho. “É importante que nas primeiras noites um dos pais esteja com a criança no mesmo ambiente. Mas atenção: mesmo ambiente, não mesma cama! O bebê precisa aprender que o berço ou a caminha são espaços dele”, afirma a pediatra Loretta Campos.

A transição do berço para a cama pode ser segura e tranquila (Foto: Unsplash)

Por volta de um ano e meio é que as camas substituem o berço. Nessa fase, as habilidades motoras da criança já estão bem desenvolvidas, por isso, todo cuidado é pouco. Os modelos de cama mais seguros são os mais baixos; são fáceis para subir e descer e reduzem bastante o risco de quedas durante a noite.

-Publicidade-

Para ajudar na adaptação do berço para a cama, a pediatra sugere que a criança participe da escolha e que o momento de dormir se transforme em algo mais divertido. “A criança pode, sim, participar da escolha da cama. Um modelo de um tema ou desenho animado que ela ame, combinada com almofadas e bichinhos de pelúcia, ajudam a criar um ambiente em que ela queira estar, tornando a hora de dormir mais agradável”, comenta a especialista.

Caso a opção seja por uma cama de altura normal, coloque uma grade de proteção para proteger seu filho de eventuais quedas. Além disso, beliches não são indicadas para crianças pequenas. A especialista ainda ressalta que o mais importante nessa fase são altas doses de paciência. “Nessa fase de adaptação, nem sempre a criança vai dormir a noite inteira. Tenha paciência, fique com ele no quarto, tenha um horário fixo para dormir – criando essa rotina, pouco a pouco a hora de dormir se tornará cada vez mais tranquila”, afirma.