Dia do Leitor: influenciadoras indicam livros essenciais na biblioteca da criança

Claudia Leonardi, do MãeLiteratura, e Patrícia Miranda, do Maternidade Literária, dão as dicas para comemorar essa data lendo com seus filhos

Categorias

Compartilhe

Você sabia que em 7 de janeiro se comemora o Dia do Leitor? E não tem forma melhor de curtir essa data do que aproveitar a companhia dos seus filhos para compartilhar uma boa leitura. Pensando nisso, convidamos Claudia Leonardi, do MãeLiteratura – mãe de Letícia e Gabriel, além do pug Zacarias – e Patrícia Miranda, responsável pelo Maternidade Literária e mãe de Heloisa e Paulo Roberto, para listar livros que precisam estar na sua biblioteca de casa. Siga nossas dicas e boa leitura!

Para que serve um livro?, de Chloé Legeay (Editora Pulo do Gato)
Em Para que serve um livro?, a escritora e ilustradora francesa Chloé Legeay leva o leitor pelos caminhos da leitura e dos grandes autores da literatura para crianças e jovens. Com ilustrações coloridas e bem-humoradas, a “utilidade” do livro vai se desenhando, também, por meio de um texto divertido, delicado e cheio de humor.

As aventuras de Pedro Coelho, de Beatrix Potter (Companhia das Letrinhas)
“Uma verdadeira aventura mesmo ao ler pela centésima vez!”, garante Patrícia. Quem nunca ouviu falar de Pedro Coelho – o dentuço mais famoso, e levado!, do mundo – e de Beatrix Potter, que escreveu e ilustrou as suas aventuras há mais de cem anos? Com milhares de fãs nos mais diversos países, esses dois já viraram desenho animado, filme, e continuam encantando crianças e adultos até hoje.

Dandara e vovó Cenira: A descoberta de si e da ancestralidade , de Livia da Silva Marques (Sinopsys Editora)
Que tal convidar seu filho para falar sobre ancestralidade e nossos familiares mais antigos? Acompanhe a trajetória de Dandara e Vó Cenira para entender a importância de manter laços com nossa história familiar e aprender sobre diversidade e respeito ao próximo. “Um retrato de diversidade, respeito aos amiguinhos e a importância de conhecer nossa origem”, afirma Patrícia Miranda.

O pequeno baobá, de André Luís Oliveira, com ilustrações de Lucas Sartorato Busatto (Paulus Editora)
A obra conta a história de um pequeno baobá, que vivia à sombra de muitas árvores adultas; entre elas, eucaliptos e enormes sequoias. “Uma edição linda, com vários detalhes legais de diagramação, traz uma reflexão importante sobre diferenças sobre descobertas e aprendizados como coragem, proteção, generosidade, amizade, qualidades e exageros”, afirma Claudia Leonardi, do MãeLiteratura.

A menina feita de nuvens, de Tati Santos de Oliveira (Editora Estrela Cultural)
Maria Luiza é uma menina com poderes especiais. Ela é feita de nuvens. Nesta história sensível, ela conta de onde vem este segredo tão legal! Em linguagem figurada, a autora trata com sensibilidade e poesia sobre o vitiligo, doença de pele que provoca a perda de pigmentação em várias partes do corpo. “Este livro sensível e bonito, foi escrito pela Tati, mãe da Maria Luiza e fala sobre aceitação e sobre lidar com as diferenças. Nesta nova edição, seu conteúdo é bilíngue, português/espanhol”, conta Claudia.

O Pequeno Príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry, com ilustrações de Maurício de Sousa (Editora Girassol)
“Uma história que passa de geração para geração”, define a influenciadora do Maternidade Literária. E essa é uma grande verdade: O pequeno príncipe é um livro para crianças, mas também para adultos. Uma leitura que devolve o mistério da infância e faz renascer os sonhos – um clássico lindamente adaptado e ilustrado com os personagens de Mauricio de Sousa.

-Publicidade-

Amigo secreto, de Eliando Rocha, com ilustrações de Sandra Lavandeira (Callis Editora)
Um amigo secreto pode ser de vários jeitos, pode ser corajoso ou covarde, divertido ou sério, nadador ou corredor, alto ou baixo. Não importa como seja, desde que seja seu amigo. Neste livro, Eliandro Rocha nos mostra o poder da amizade em superar qualquer tipo de diferença. “Um livro colorido e muito bacana, que fala sobre o poder da amizade, não importa as diferenças de estilo, de personalidade, amigo é amigo!”, afirma a responsável pelo MãeLiteratura.

A onda azul – Azul da cor do mar, de Marismar Borem (Editora Cora)
Um livro sobre o autismo que narra, através de relatos de vida e com linguagem simples, como os sintomas podem ser observados para o diagnóstico precoce do problema. De acordo com a influenciadora, o livro é “uma forma delicada de ensinar a inclusão social”.

Um por todos e todos por um, de Brigitte Weninger (Ciranda Cultural)
A obra mostra que todos juntos podem ser muito mais fortes, pois cada um tem sua própria força especial. Um por todos e todos por um! Dessa forma os sonhos se tornam realidade. “Leitura gostosa, que mostra como juntos somos melhores, mais fortes. Se nos ajudarmos podemos muito mais”, afirma Patrícia Miranda.

Aimê, e seus fios de cachos, de Mariana Cazalla Maciel, com ilustrações de Lhaiza Morena (Editora InVerso)
A infância é uma fase muito importante na construção da identidade de uma pessoa. Conheça Aimê e seus fios de cachos, que às vezes estão soltos, às vezes amarrados para cima, às vezes até divididos… mas sempre livres, assim como ela! “Adorei este livro lindo e colorido. Aimé é uma menina com lindos cabelos cacheados e seu livro mostra sobre respeito às diferenças, sobre a beleza de cada pessoa e o quanto é importante valorizar estas diferenças. Cada um é bonito do seu jeito!”, comenta Claudia.

Quando eu crescer, de Quentin Gréban (Editora Melhoramentos)
Durante a aula, a professora pergunta para cada um dos alunos o que querem ser quando crescerem. Condutor de trem, policial…Só que Juliete ainda não faz nem ideia… “Que livro mais lindo, eu AMEI as ilustrações e os personagens, cachorros lindos, lindos. O livro fala sobre expectativas e sobre escolha de profissões de forma lúdica e ingênua. Uma delícia de leitura!”, indica Claudia Leonardi.

Nina e a estrela de amigos-bico, de Joana Helena Siota (Sinopsys Editora)
Este livro complementa o processo de retirada do bico, da chupeta ou da mamadeira, da maneira como toda mudança deve ocorrer para evitar traumas: com segurança, apoio e tranquilidade. “Perfeito para o momento de tirar a chupeta da criança. Uma forma lúdica de lidar com o momento”, comenta a influenciadora.