Coronavírus: tire suas dúvidas e saiba como se prevenir contra a doença

De acordo com Ministério da Saúde, ainda não há casos confirmados no Brasil

Categorias

Compartilhe

Resumo da Notícia

  • O recente surto de coronavírus deixou o mundo em estado de alerta.
  • Doença já matou mais de 40 pessoas na China, país onde teve início a epidemia.
  • Mesmo sem casos confirmados no Brasil, Ministério da Saúde passou orientações para se prevenir contra a doença.

O mundo está em alerta para o coronavírus. A doença já matou mais de 40 pessoas na China e sua origem ainda é desconhecida – por enquanto, especialistas acreditam que sua fonte seja de uma reserva animal. Além disso, a forma como o vírus é transmitido entre as pessoas também não é clara, o que deixa as pessoas cheias de dúvidas.

De acordo com o Ministério da Saúde, os coronavírus são uma grande família viral que causa infecções respiratórias em seres humanos e em animais. Os vírus receberam esse nome devido às espículas na sua superfície, que lembram uma coroa. Os primeiros coronavírus humanos foram inicialmente identificados em meados da década de 1960.

Os coronavírus humanos causam doença respiratória, de leve a moderada, no trato respiratório superior – seus sintomas podem ser confundidos facilmente com os de uma gripe comum: febre, tosse e dificuldade para respirar. O diagnóstico é feito a partir da coleta e análise de amostra de materiais respiratórios com potencial de aerossolização – traduzindo, do catarro da tosse ou do espirro.

Coronavírus: como se prevenir da doença que deixou o mundo em alerta (Foto: Unsplash)

No Brasil ainda não foram confirmados casos de coronavírus. Representantes do Ministério da Saúde afirmaram na última quinta-feira (23) que já descartaram a suspeita de casos de coronavírus em cinco Estados que haviam notificado a rede Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs). Os casos de pessoas internadas no Distrito Federal, Minas Gerais, Santa Catarina, São Paulo e Rio Grande do Sul não se enquadram nos critérios estabelecidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para diagnosticar a doença.

Os aeroportos brasileiros começaram a divulgar um alerta da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) sobre o coronavírus. No alerta, uma mensagem de áudio de aproximadamente 1 minuto, a Anvisa orienta os passageiros que chegaram da China e estão com sintomas como febre e tosse a procurar uma unidade de saúde. Também são dadas orientações para evitar a transmissão de doenças.

Para se prevenir, a recomendação do Ministério da Saúde é a mesma feita para a prevenção de infecções respiratórias agudas. São elas:

  • evitar contato próximo com pessoas que sofrem de infecções respiratórias agudas;
  • lavar as mãos com frequência, especialmente após contato direto com pessoas doentes ou com o meio ambiente;
  • utilizar lenço descartável para higiene nasal;
  • cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;
  • evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
  • higienizar as mãos após tossir ou espirrar;
  • não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;
  • manter os ambientes bem ventilados;
  • evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas da doença;
  • evitar contato próximo com animais selvagens e animais doentes em fazendas ou criações.

 

-Publicidade-

Coronavírus, uma preocupação mundial

Autoridades do setor de saúde da China afirmam que o número de mortos aumentou para 41, e com centenas de casos adicionais de infecção, o total de infectados chega a quase 1.300 em todo o país. A Comissão Nacional de Saúde anunciou que 237 pacientes estão em condições graves.

Os feriados do Ano Novo Lunar na China, com a duração de uma semana, tiveram início nesta sexta-feira (24), mas, ao invés do clima de comemoração típico da época, o fato está aumentando a preocupação sobre o alastramento do vírus, uma vez que centenas de milhões de pessoas viajam para ver seus familiares e amigos.

Novos casos de infecção estão sendo confirmados em todo o mundo. Autoridades na França anunciaram ter registrado os três primeiros casos na Europa. Autoridades australianas confirmaram também o primeiro caso de infecção no país. O paciente seria um homem na casa dos 50 anos, que está visitando Melbourne. Ele é um morador da cidade de Wuhan, onde teve início o surto do vírus.

Autoridades chinesas estão adotando medidas para lidar com os temores, isolando várias cidades e fechando famosos pontos turísticos e locais de entretenimento. O parque temático Disney Resort, de Xangai, e a Cidade Proibida, em Pequim, estão temporariamente fechados.