Confira técnicas infalíveis para dar conta de família, trabalho, autocuidado e hobbies numa boa!

Organizar todos esses afazeres, educar, dar carinho e atenção aos filhos e ainda cuidar de si mesma, pode ser uma tarefa desafiadora, mas, não é impossível

Autor

Categorias

Compartilhe

Resumo da Notícia

  • Você, além de ser mãe, é esposa e ainda uma profissional que almeja o melhor para a carreira
  • Administrar todos esses afazeres, educar, dar carinho e atenção aos filhos e ainda cuidar de si mesma, pode ser uma tarefa desafiadora;
  • Contudo, nós provamos que é possível conciliar tudo isso, com uma boa gestão do tempo.

Você é mãe, esposa e ainda uma profissional que almeja o melhor para a carreira? Pois bem, a gente sabe que tudo isso não é nada menos do que a rotina de muitas mulheres no mundo. No entanto, administrar todos esses afazeres, educar, dar carinho e atenção aos filhos e ainda cuidar de si mesma, pode ser uma tarefa desafiadora. Contudo, nós provamos que é possível conciliar tudo isso, com uma boa gestão do tempo.

A sensação de que o dia deveria ter mais do que 24 horas é comum para muitos. De acordo com o portal administradores.com, em uma pesquisa feita em conjunto com a Triad Ps,  do total de 6.631 mulheres entrevistadas, 61% afirmaram não conseguir equilibrar a vida pessoal e profissional. Mas para a psicoterapeuta Elainne Ourives, com disciplina e boa vontade é possível manter a vida equilibrada. “A organização melhora a qualidade do tempo que se pode aproveitar com as pessoas que mais amamos na vida, seja com seu companheiro, companheira, amigos ou com seus filhos”.

O que é gestão do tempo?

O que é gestão do tempo? (Foto: Reprodução Unsplash)

A gestão do tempo é a habilidade de organizar o dia de modo a torná-lo mais produtivo, dentro de suas 24 horas. Nesta organização é necessário, além da definição das prioridades, a mobilização de diversos recursos, processos e até de pessoas para que se alcance a tão almejada realização pessoal. O objetivo é aumentar a efetividade, eficiência e produtividade.

Para a professora universitária e gestora comportamental Patrícia Barcelos Martins, quando uma mulher consegue gerir de forma eficiente o seu tempo, tudo que está em torno dela flui. “Eu, como especialista na área, mas também como mulher e mãe, sinto muito isso na vida pessoal e profissional. Quando nós, mães, administramos nossos pensamentos, comportamentos e  atividades, considerando e reorganizando o tempo disponibilizado, nos tornamos pessoas mais felizes, produtivas e acabamos por influenciar positivamente todo o universo que nos cerca. Independente dos contextos diferenciados de cada mulher, sempre é possível administrar seu tempo de modo a lhe proporcionar maior satisfação e felicidade”, explica.

Quais as vantagens de gerenciar o tempo?

Quantas vezes você pensou que seu dia precisaria ter mais de 24 horas para que você pudesse dar conta de tudo? A verdade é que temos tempo para dar conta dessa rotina, mas só precisamos organizá-lo.  E ao conseguir fazer isso, você passa a colher inúmeros frutos.

Para se ter ideia, gerenciar o tempo reduz diretamente os níveis de estresse, porque se consegue por exemplo, ter mais tempo livre ou dar mais valor às coisas que realmente importam para você. Fazendo o bom uso do tempo, a janela de possibilidades ficará aberta para quem o faz, afinal, a reputação vai ser muito boa. E todos querem ter por perto alguém em quem se pode confiar, não é mesmo? Enfim, planejar e se preparar para o dia que virá, evita que criemos nossos próprios problemas.

Existem muitas vantagens em gerir o tempo (Foto: Reprodução Unsplash)

Mas não é desgastante?

A característica de multitarefa parece estar impregnada no DNA feminino. “Fazer mil coisas ao mesmo tempo, hoje, faz parte da rotina das pessoas e da vida moderna. Não só das mamães, mas também dos pais e de todas as pessoas. O tempo é organizado por nossa mente e por nossa capacidade de percepção da realidade. Tudo pode ser modelado”, diz Elainne.

De acordo com Patrícia, fazer tudo isso só é desgastante se a pessoa não souber estabelecer prioridades. “O bom é que contamos com o auxílio de ferramentas de gestão do tempo, mas apenas ter essas ferramentas não basta; é preciso usá-las, e acredito que é neste aspecto que precisamos motivar mais as mulheres para gerenciarem suas atividades do cotidiano”.

Ferramentas de gestão do tempo 

Gerir o tempo traz inúmeros benefícios (Foto: Reprodução Unsplash)

Se tudo começa com a organização, precisamos saber que existem algumas ferramentas para que o dia fique mais produtivo. Porque, vamos combinar, estar sempre ocupada e ser eficaz são coisas diferentes. Quantas vezes você já não deixou várias coisas por fazer? Consultamos especialistas na área e vamos te ajudar a se organizar.

1- Defina prioridades

Para se estabelecer prioridades é preciso considerar os valores e impactos que cada atividade ou ação exerce sobre sua vida. Para algumas mulheres o cuidado com a estética, por exemplo, é algo de grande importância, pois lida com a autoestima. Para outras, estudar e entrar em uma universidade é prioridade. Percebam que dependendo dos valores, as prioridades se modificam.

Faça uma lista de atividades de forma hierarquizada. As primeiras da lista serão as que merecem a nossa atenção com mais urgência. Isso também se aplica ao planejamento doméstico. Organize os afazeres que precisam de atenção todos os dias, semanas ou aquilo que se faz uma vez ao mês. Defina as prioridades e por fim, delegue tarefas!

É importante colocar em algum lugar da sua lista, os imprevistos como: acidentes, quebra ou perda de algum objeto que precisa de reposição imediata e coisas do tipo.

2- Delegue tarefas 

Muitas vezes acabamos fazendo mais tarefas do que poderíamos e isso gera muito estresse e faz com que você perca seu precioso tempo. Então, que tal começar a delegar? Peça para o seu filho arrumar a cama, para o seu marido fazer o jantar e para o seu subordinado no trabalho cumprir algumas tarefas extras da sua rotina.

A pedagoga destaca que, até os filhos menores podem e devem ser introduzidos neste planejamento, pois, desta forma, já vão incorporando os valores e comportamentos fundamentais para um desenvolvimento equilibrado na vida adulta como: trabalho em equipe, responsabilidade e solidariedade. Contudo, as atribuições devem respeitar a faixa etária de cada criança.

E em se tratando da figura do companheiro de vida, Patrícia afirma que é fundamental a participação deste no planejamento e na execução das tarefas. “A família é uma instituição coletiva onde todos possuem direitos e deveres que precisam ser compartilhados”, explica.

3- Não procrastine! 

As mães também podem gerir o tempo! (Foto: Reprodução Unsplash)

A procrastinação é um dos principais motivos que afetam a produtividade. Adiamos principalmente aquelas tarefas mais complicadas ou as menos prazerosas. E uma boa dica para concluir esses afazeres é: não adie. Faça primeiro. Por exemplo, você não gosta de ir à academia. Então esse será o seu primeiro compromisso diário. Dessa forma, você começa o dia realizando um objetivo e fica com a sensação de missão cumprida.

4- Defina prazos

Ao fazer isso, há uma maior chance das suas atividades serem cumpridas. Ou seja, tenha um prazo para tudo. Do dia de lavar as roupas ou de ir ao salão ao momento da entrega de um projeto especial do trabalho. Mas atenção! Não deixe para a última hora. Isso pode gerar uma preocupação desnecessária.

5- Faça listas

É necessário agendar as suas tarefas (Foto: Reprodução Unsplash)

Sim! É necessário agendar as suas tarefas. Pense em todas as coisas que precisa fazer e anote-as. Das mais simples às mais complexas, é importante não deixar nada de fora. Para a sua organização você pode usar papel e caneta, post-its, o bloco de notas,  um aplicativo no celular ou até criar uma planilha. No entanto, só funciona se você não esquecer de consultar essas metas diárias – que também podem ser semanais, mensais ou anuais.

“Pode-se em um quadro branco afixado em uma parte visível da casa, elaborar, de preferência em conjunto com a família, um planejamento de atividades”, orienta Patrícia.

6- Tenha foco 

De acordo com Patrícia, ser uma mulher focada requer disciplina e muita organização. “Vamos tomar como exemplo um trabalho home office”, diz. “O estabelecimento de um local físico na casa, devidamente iluminado, planejado para atender suas necessidades é uma das ações que precisam ser tomadas para ajudar no foco”, explica.  “Dependendo do que se está realizando, pode ser preciso deixar o celular no silencioso, usar fone de ouvido, avisar os membros da família que estará online em uma reunião de trabalho”, orienta.

-Publicidade-

Todas essas ações contribuem para que não fique distraída. Atualmente, as redes socais e seus barulhos de notificações e divagação com os pensamentos  são uma das maiores fontes de distrações. Mas a respiração e pausas programadas no trabalho ajudam a manter o foco.

7- Sim, você pode dizer não! 

Antes de assumir todas as tarefas da vida, olhe para aquela lista de afazeres e se questione: eu vou cumprir tudo isso? Porque não adianta querer abraçar o mundo se você não for entregar tudo o que precisa. Então, se precisar, diga não. Explique seus motivos e de maneira educada, recuse ou delegue. “Dizer não serve para mostrar nossa identidade e desconstruir injustiças. Dizer não é uma maneira de ser honesto conosco e com outros”, afirma Patrícia.

De acordo com Elainne, precisamos estabelecer limites nas relações. O não, muitas vezes, é necessário, para a criança saber até onde pode ir e para você  ter um norte em sua vida ou em qualquer área que for atuar. “Os limites e os “nãos” também são formas de amar, porque vivemos em sociedade, temos regras, leis e limites. Isto, certamente, ajuda no desenvolvimento da própria autoconsciência do filho, que compreenderá a dinâmica do mundo, especialmente nas relações com as outras pessoas”, atenua a especialista.

Apesar de sistêmico todo esse processo, é possível separar por uma espécie de departamentos. Gestão de tempo, saúde, disposição e bem-estar. “É preciso, realmente, ter organização, disciplina e critérios para colocar cada coisa no seu tempo e no seu devido lugar. Para mim, esta é a tríade que se deve adotar para conseguir manejar todas as demandas que a vida moderna pede”, diz Elainne.

“Olhar para o objetivo final, e mentalizar a sua realização, independente do processo ser árduo, corrobora para que a percepção da vitória energize e motive mais do que as circunstâncias atuais”, orienta Patrícia.

Síndrome da ‘mãe perfeita’

Você pode ter o seu tempo e ainda assim, ser uma boa mãe (Foto: Reprodução Unsplash)

De acordo com Patrícia, essa noção de perfeição está embasada em estudos da psicologia intitulados “Síndrome da mulher maravilha”. “Tal síndrome manifesta-se no contexto das pressões externas da sociedade moderna na busca da perfeição, utilizando-se de supostos superpoderes, iludindo a percepção sobre a própria identidade da mulher” avalia.

Sheryl Sandberg, diretora de operações do Facebook, cita uma frase  muito conhecida na área de produtividade: “O feito é melhor do que o perfeito”. Isso está atrelado à ideia de que muitas vezes por necessidade exagerada em fazer algo perfeito, acabamos nem o realizando ou deixando para depois – por medo. “Não precisamos ser perfeitas. Nosso foco deve ser convertido para o equilíbrio de vida. As pressões do cotidiano que parecem sugar nossas energias não precisam se fazer presentes”, afirma Patrícia

Para a psicoterapeuta, perfeição é algo muito subjetivo e particular. Para ela, manter uma relação transparente com os filhos é o ideal. “O  mais importante é manter seu estado de presença, participar e colaborar com o desenvolvimento dos seus filhos, com amor, paciência e reciprocidade. Ou seja, no momento em que está presente fisicamente, esteja por inteiro, seja solícita e amável. Os filhos precisam sentir esse interesse recíproco dos pais por suas vidas e suas projeções”, explica Elainne.  “Quando estiver ausente, seja por um compromisso pessoal ou profissional, organize sua agenda, faça programações com planejamento e sempre busque trazer discernimento, clareza e consciência aos seus filhos. Pois tudo tem seu momento, tempo e a hora certa, para cada atividade e obrigação também”, alerta.

Não se sinta culpada 

“Primeiramente, a mulher tem que se afastar da ideia do perfeccionismo”, diz Patrícia. Segundo a especialista, quando se possui uma visão distorcida sobre quem somos, tendemos a nos culpar com mais facilidade. Entretanto, a culpa paralisa, desmotiva e contagia negativamente quem está à nossa volta. “É preciso respirar profundamente, trocar os pensamentos, ser grata por quem você é e por tudo que você possui”, instrui.

Conforme a psicoterapeuta explica, culpa ou frustração só traz mais problemas. “Todos nós temos nossos desafios, e criar  filhos não é diferente”, diz. Para Elainne, as novas gerações são diferenciadas e ainda mais evoluídas. “Então, a culpa é trágica e só vai baixar a vibração de qualquer processo, colocando os pais ainda mais pra baixo, sem encontrarem qualquer solução nesta nova interação com os filhos, especialmente, no caso das mães, que têm essa empatia emocional ainda mais intensa”, garante.

Não se sinta culpada caso não consiga fazer mil coisas ao mesmo tempo (Foto: Reprodução/Unsplash)

Diante desse cenário, as mães ou pais, de modo geral, devem buscar ainda mais informação, manter-se atualizados sobre a ciência, procurar profissionais especializados, se assim acharem necessário e, acima de tudo, buscar a paz interior. “Porque a paz dos pais será, naturalmente, refletida para a vida externa dos seus filhos. Isto é física quântica e o que podemos chamar de ressonância vibracional. Ou ainda, se partirmos para uma análise da neurociência, de um comportamento que se pode reproduzir como espelho-neurônio” afirma Elainne.

Não surte! 

Busque a organização, disciplina e equilíbrio de vida! Isso ajuda a não surtar. Especialistas ressaltam a importância da boa alimentação, exercícios físicos, bons relacionamentos, meditação, espiritualidade, vontade e disposição para aprender sempre. “Já dizia Paulo Freire ‘Ninguém sabe tudo, ninguém ignora tudo’. Se você domina uma área, se tem uma habilidade, o outro tem outra habilidade, domina outra área, e ninguém é melhor do que ninguém. Somos diferentes e essa diversidade é fundamental para o crescimento”, explica Patrícia.

E Elainne ainda orienta: “Mantenha a calma, a paz interior, silencie a mente e haja com muito amor no coração. Estas ações vão refletir no mundo do seu filho e no seu comportamento familiar. Feito isso, o resto começa a se alinhar e a se ajustar naturalmente. Acredite, tenha fé no seu poder interior e aceite a divindade que vibra no seu coração e do seu filho”.

Busque o equilíbrio 

Mães também podem se divertir! (Foto: Reprodução Unsplash)

Patrícia explica que o  ser humano é composto por quatro dimensões básicas: biológica, social, espiritual e psicológica. Uma vida equilibrada é justamente aquela em que se destina uma parcela do tempo para desenvolver cada uma destas dimensões. A ideia de integralidade é fundamental aqui.

“Não basta a mulher mergulhar, por exemplo, nos cuidados com o corpo e o aspecto psicológico não estiver, paralelamente, também sendo desenvolvido. Assim como, não é recomendável só reservar tempo para cuidar dos membros da sua família e esquecer-se de cuidar de si própria”, explica.

As interconexões entre essas quatro dimensões são complexas, e já se sabe que também são interdependentes, ou seja, apenas uma das dimensões não garante o bem-estar do indivíduo. “Você já deve ter ouvido aquele ditado popular que é preciso cuidar de si para poder cuidar bem dos outros, é sobre isso que estamos falando… É bem provável, que em alguns dias você se dedique mais a uma dimensão do que a outra, isso é bem normal. O importante é que ao longo da semana você consiga buscar essa integralidade, através da definição de prioridades e gestão do tempo”, orienta.

Dicas das especialistas

Sempre busque aprender (Foto: Reprodução/ Unsplash)

Livros 

  • A tríade do tempo, de Cristian Barbosa
  • O livro secreto da gestão do tempo, de André L.D Cunha
  • O Poder Infinito da Sua Mente, de Lauro Trevisan.

Filmes

  • Não sei como ela consegue
  • A procura da felicidade
  • O estagiário
  • O segredo (documentário)

Fontes: Patrícia Barcelos Martins é  professora e tutora universitária na UDESC, e nos cursos de qualificação e aperfeiçoamento do SENAC (administração do tempo, inteligência emocional e vendas, endomarketing, comunicação empresarial, KANBAN, MASP, planejamento estratégico, vendedor, ética e trabalho). /  Elainne Ourives é psicoterapeuta, treinadora e reprogramadora mental.