Cama compartilhada: tire todas as suas dúvidas e evite acidentes

Pediatra apresenta prós e contras do método

Categorias

Compartilhe

Quando o bebê ainda é pequeno, muitos pais podem optar por dormir em cama compartilhada, dividindo seu espaço com a criança. Seja por proteção ou por facilidade – uma vez que, logo que nascem, os bebês dormem a noite toda – estar com seu pequeno ao alcance das mãos pode parecer uma boa ideia, mas alguns cuidados precisam ser tomados para que a cama compartilhada seja mais segura.

Em primeiro lugar, a cama compartilhada não é recomendada até a criança completar 4 meses. Nessa primeira fase da vida, o recém-nascido corre risco de morte súbita. uma das principais causas de óbito das crianças e que ocorre, em geral, durante o sono noturno.

Se você decidir compartilhar a cama com seu bebê, precisa tomar algumas precauções. A criança não pode ficar no meio da cama, entre os pais. “A criança deve ficar em um dos lados da cama, preferencialmente encostada na parede, para evitar os riscos de queda”, alerta a pediatra Loretta Campos.

Cama compartilhada: evite acidentes e durma tranquilo com seu bebê (Foto: Simon Matzinger/Unsplash)

A cama também não pode ter muitos travesseiros e almofadas, nem cobertores. A especialista indica que a criança seja protegida do frio com roupas, não com edredons ou outras cobertas. “A diferença de temperatura corpórea do bebê e de uma pessoa adulta não é tão grande quanto se pensa; se você está com frio, o bebê está com um pouco mais de frio que você”, afirma Loretta.

Pais que fumam não podem compartilhar a cama com seus bebês, uma vez que a exposição ao cigarro também traz maior risco para ocorrência de morte súbita no bebê. Além disso, fique atenta ao seu pijama: roupas com cordões podem ser lindas e parecer inofensivas, mas podem provocar acidentes, como asfixia da criança, durante o sono.

-Publicidade-

Tomando todos esses cuidados, você está pronto para aproveitar uma boa noite de sono ao lado do seu filho. De acordo com a dra. Loretta Campos, a cama compartilhada é uma opção até o sexto ou sétimo mês de vida do seu bebê; após esse período, é indicado começar a transição da criança para o quarto próprio. Bons sonhos!

Bebê na rede
Outro risco da cama compartilhada é que um dos pais role para cima do bebê durante o sono sem perceber – exatamente o que aconteceu na última semana em Forquilha/CE. Na madrugada de domingo (15), um bebê de apenas quatro meses morreu enquanto dormia junto ao pai. De acordo com informações da Polícia Civil, o pai e a criança estavam dormindo juntos em uma rede.

Segundo com o tenente-secretário da Segurança Pública da cidade de Forquilha, Batista Sousa, o pai adormeceu sobre a criança e o bebê morreu asfixiado. O sexo da criança não foi divulgado pelas autoridades. O caso foi registrado na Delegacia Regional de Sobral, onde será investigado. Policiais visitaram a residência da família, onde o acidente aconteceu, para os primeiros procedimentos.