Birra de bebê: saiba como lidar (muito bem) com essa fase

Os acessos de raiva podem fazer com que você questione sua técnica de criação, mas na verdade são uma parte normal da infância

Autor

Categorias

Compartilhe

Resumo da Notícia

  • A birra é a explosão emocional dos seus filhos. Caracterizada por teimosia, choro, gritos, violência e muito desafio, é inevitável;
  • Para os pais, é uma fase complicada, mas é o momento de ter pulso firme e paciência;
  • Para lidar com esse comportamento da melhor forma, o Bebê em Foco listou tudo o que você precisa saber sobre birra de crianças.

A birra é a explosão emocional dos seus filhos. Caracterizada por teimosia, choro, gritos, violência e muito desafio, é inevitável. Para os pais, é uma fase complicada, mas é o momento de ter pulso firme e paciência. Para lidar com esse comportamento da melhor forma, o Bebê em Foco listou tudo o que você precisa saber sobre birra de bebês.

Os acessos de raiva podem fazer com que você questione sua técnica de criação, mas na verdade são uma parte normal da infância. É o momento em que eles tentam compreender o mundo e o que está acontecendo ao seu redor – e usam a birra para se expressar e descobrir as relações com o outro.

Os pais precisam saber lidar com a birra das crianças (Foto: Freepick)

O que causa a birra de criança?

Com os bebês, os acessos de raiva e o choro significam uma tentativa de se comunicar. É a fome, a dor, a cólica ou o sono que eles ainda não conseguem expressar. Até um ano de vida, as crianças não conhecem limites ou outra forma de agir.

Nessa fase, não existem dúvidas: se o bebê chorar, os pais devem cuidar e acolher. Eles aprendem rápido, então o choro é uma forma de solicitar a presença dos pais. Contudo, quando as crianças começam a entender o poder da negociação, a birra ganha outro valor.

Birra de criança é comum (Foto: Freepick)

Os acessos de raiva se transformam em uma luta constante pelo poder. Eles estão profundamente cientes de suas necessidades e desejos – e querem afirmá-los ainda mais. E se você não obedecer, ganha a birra como resposta. De fato, não existe desenvolvimento saudável sem birra. Faz parte do eu da criança, que pode ter um período mais birrento ou menos birrento. Mas, é a resposta da família que faz toda a diferença.

Como lidar com as birras das crianças?

Dessa forma, birras não são sinônimos de má educação. No entanto, neste momento, o pulso firme dos pais é essencial – o que não significa ou indica, uma queda de braço. Ou seja, apenas ignorar a situação e não conversar com seu filho, pode indicar que você deseja disputar a autoridade com ele.

Não dspute autoridade para lidar com a birra (Foto: Freepick)

Para evitar qualquer mal entendido, é preciso diálogo! Sim, converse com a criança e explique que esse tipo de atitude não é legal. Além disso, aponte outros caminhos para que seu filho consiga se expressar. E não esqueça que você é o modelo do seu filho para lidar com a raiva. Então seja o exemplo! E nunca, jamais, bata no seu filho.

Não grite: saiba que eles podem estar frustrados, então, manter a calma e buscar ajudar, é o melhor caminho. Se você gritar, seu filho vai acabar correspondendo ao seu volume porque, no final das contas, ele quer se envolver com você – e o caos acaba se instalando.

Abrace-os: esse gesto transmite segurança em qualquer situação e indica ao seu filho que você se preocupa – mesmo não concordando. Abraçar pode parecer a última coisa que você quer fazer quando seu filho está tendo um acesso de raiva, mas realmente pode ajudá-lo a se acalmar. Os abraços também servem para a quando a birra acabar: siga em frente imediatamente – não insista no acesso de raiva.

Seja firme: Valorize a importância de dizer não. Se a birra da criança começou quando você disse que eles não podiam comer um biscoito, não dê o biscoito a eles depois que as lágrimas pararem. Mas isso não impede que você os ajude com a frustração. Entenda o que incomoda e proponha uma solução.

Não leve para o pessoal: Não se permita sentir-se culpado ou fora de controle porque seu filho teve um colapso momentâneo. Entenda que a birra é parte das frustrações do pequeno, e dessa forma, se em algum momento, ele disse que não gosta de você – não fique triste, vai ficar tudo bem!

Mimado e birrento?

Amar, cuidar, proteger e preparar os filhos para o mundo são importantes missões dos pais. Mas essa preparação significa principalmente que devemos ensiná-los. As crianças devem entender que fazem parte de um todo chamado família, onde cada um tem seu papel.

Não se culpe pela birra de seu filho (Foto: Freepick)

Então, deixar os limites claros, evita que a criança controle a situação. A nossa função é fazer com que o filho encontre o limite por si só.  A criança tem de ter consciência de que, se fizer aquilo, vai prejudicar a si própria. E elogie quando seu filho recuperar o controle. Use algo como: “Gosto de como você se acalmou.”

Lembre-se de que os acessos de raiva geralmente não são motivo de preocupação e param por conta própria. Conforme as crianças amadurecem, elas ganham autocontrole. Eles aprendem a cooperar, se comunicar e lidar com a frustração. Menos frustração e mais controle significarão menos acessos de raiva – e pais mais felizes.