Zeladora encontra crânio humano em banheiro de escola

Caso aconteceu em Rio Branco, no Acre

Categorias

Compartilhe

Resumo da Notícia

  • Zeladora de um colégio em Rio Branco, capital do Acre, tomou um susto ao limpar um dos banheiros femininos
  • A funcionária da escola encontrou um crânio humano no local
  • O Instituto Médico Legal e a polícia local investigam o caso

Uma zeladora que trabalha na Escola Lindaura Martins, em Rio Branco, capital do Acre, levou um baita susto! Nesta segunda-feira (2), ao limpar um dos banheiros femininos do colégio, ela encontrou um crânio humano. Uma equipe do Instituto Médico Legal (IML) precisou ser acionada para atender a ocorrência.

Inicialmente, ainda não se tinha a informação se era um crânio humano. Mas, segundo o Centro Integrado de Operação em Segurança Pública (Ciosp), a informação foi confirmada pelos especialistas – mas trata-se de um crânio antigo. “Fomos acionados para um achado de crânio, chegamos lá e identificamos que estava dentro do banheiro, sem nenhum sinal de violência no local e nem no crânio, em uma análise superficial, então trouxemos ele para o IML para as análises e posterior encaminhamento para confronto de material biológico, que é o DNA”, disse o perito criminal Marcos Lourenço, em entrevista ao portal G1.

Menina leva crânio para escola e causa alvoroço (Foto: Reprodução/Continet)

A Secretaria de Educação local informou que, a partir do momento em que o crânio foi localizado pela zeladora, a administração da escola acionou a Polícia Militar, que entrou em contato com a perícia para recolher o material. De acordo com informações da polícia, o crânio teria sido levado por uma aluna da instituição para uma “brincadeira” de adolescente. A Polícia Civil deve ser acionada para apurar de onde a estudante teria pego o crânio e as demais circunstâncias do caso.

-Publicidade-

Ainda de acordo com a Secretaria de Educação a aluna que supostamente teria levado o crânio para a escola será ouvida pela polícia. A menina, que não teve a idade ou a série revelada, teria algum tipo de transtorno mental. O caso será investigado pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).