Vídeo: criança se afoga por quatro minutos em piscina lotada e ninguém percebe

Imagens impressionantes foram compartilhadas pelo departamento de polícia local e servem de alerta para mães e pais

Categorias

Compartilhe

Resumo da Notícia

  • Um menino se afogou na piscina de um hotel em Michigan, nos Estados Unidos
  • Apesar do ambiente estar cheio de pessoas, ninguém percebe que a criança está com dificuldades
  • O resgate foi feito por duas enfermeiras que estavam no local, de folga

Um vídeo captado pelas câmeras de segurança de um hotel em Michigan, nos Estados Unidos, são de tirar o fôlego. Um garoto tem dificuldades para nadar e começa a se afogar na piscina; mesmo o ambiente estando cheio de pessoas, ninguém percebe que a criança está submergindo. As imagens angustiantes duram cerca de quatro minutos, até que ele é enfim resgatado.

Criança se afoga em piscina lotada e ninguém percebe (Foto: Reprodução)

Quem percebe primeiro que o menino está se afogando é outra criança, uma menina de nove anos que sai em busca de ajuda. Ele é, enfim, resgatado por duas enfermeiras de folga, que se apressam para pular na piscina e trazer o menino de volta à superfície. Após o resgate, a criança foi encaminhada a um hospital da região, de onde já teve alta.

O Departamento de Polícia de Livonia, cidade onde o acidente aconteceu, compartilhou o vídeo em sua página no Facebook para alertar as pessoas sobre os perigos de não monitorar crianças pequenas quando estão na água. “Ele está tentando nadar. Eu acho que ele está tentando ficar em posição de ficar em pé e ele simplesmente não consegue. E tem muita gente na piscina”, comenta Ron Taig, capitão do departamento de polícia de Livonia, em entrevista à emissora de TV local WXYZ. E completou: “Dá arrepios quando você vê essas enfermeiras trabalhando nessa criança – várias rodadas de respiração boca a boca para trazê-la de volta.”

Tanto as enfermeiras que resgataram o menino quanto a menina que primeiro identificou o afogamento e foi buscar ajuda receberão o Prêmio de Serviço Excepcional do Departamento de Polícia de Livonia, o maior elogio civil possível. “Desde a criança que identifica a criança de dois anos no fundo da piscina até a madrinha que salta e as enfermeiras que entram em ação e fazem o que são treinadas para fazer, são todas realmente heroínas”, afirma o capitão de polícia.

Assista ao vídeo abaixo – caso não consiga ver, clique aqui.

 

Cinco dicas para prevenir acidentes em piscinas

Converse com seu filho: parece óbvio, mas nem sempre falamos com nossos filhos sobre os perigos da água. Antes de viajar, ainda em casa, fale com ele sobre o quanto nadar pode ser perigoso, se não tomarmos os devidos cuidados. Não precisa ser alarmista, para não deixar a criança com medo e estragar a diversão, mas deixe tudo às claras.

Escolha um “guardião da piscina”: se todo mundo está de olho nas crianças, no fundo significa que ninguém está. Por isso, uma boa ideia é eleger um “guardião da piscina”. A família se reveza e, em turnos de meia hora, por exemplo, uma pessoa fica cem por cento responsável por vigiar a brincadeira na piscina.

Fique atento aos sons – e a ausência deles: ao contrário do que estamos acostumados a ver nos filmes e séries, crianças quando se afogam não gritam ou batem na água loucamente. Na maior parte dos casos, o afogamento é silencioso, com uma queda vertical em direção ao fundo da piscina. O silêncio na piscina pode ser, sim, sinal de perigo.

Deixe o celular de lado: não pegue o celular assim que as crianças entrarem na piscina. Esse não é o momento de se distrair. Sua atenção precisa estar no local onde você está – as fofocas das amigas e dos famosos podem esperar, acredite em nós.

Considere aulas de natação: se seu filho é um verdadeiro peixinho, vale a pena pensar em matriculá-lo em um curso de natação. Dessa forma, tanto ele quanto você ganharão segurança quando estiverem na piscina.