Projeto proporciona encontro de crianças autistas com Papai Noel

Shoppings abrem mais cedo para que as visitas possam ser feitas de maneira tranquila; “Papai Noel Se Importa”

Categorias

Compartilhe

Na época de Natal as crianças ficam muito empolgadas para conhecerem o Papai Noel. O encontro é um desafio para quem tem filhos autistas ou com outras necessidades especiais. Levando isso em consideração, grandes centros comerciais na América do Norte estão abrindo antes para que esse tipo de público também tenha a oportunidade de conhecer o Bom Velhinho.

As luzes, barulho, shopping lotado e as longas filas podem desencadear crises, que podem acontecer a qualquer momento. “Para muitas crianças visitar o Papai Noel pode ser um tipo de sobrecarga sensorial. São muitas cores, filas e barulhos.”, afirma Bama Hager, orientadora da Sociedade de Autismo do Alabama, em entrevista ao Daily Mountain Eagle.

O projeto, batizado de “Papai Noel Se Importa”, é uma iniciativa de Autism Speaks, uma organização sem fins lucrativos. O programa organizou, esse ano, cerca de 750 eventos em 582  shoppings nos Estados Unidos e Canadá. “Nosso objetivo é criar um mundo mais inclusivo para pessoas com autismo e eventos como esse causam impactos significativos em ajudar as famílias a se sentirem confortáveis, acolhidas e aceitas”, escreveu a vice-presidente da Autism Speaks, em um comunicado.

Baseado neste objetivo, os shoppings estão fazendo com que a experiência ocorra antes da abertura dos estabelecimentos. Estão sendo promovidos momentos menos estressantes para as crianças que tenham necessidades especiais. Um ambiente de calmaria, sem deixar a magia de lado, é criado. As canções natalinas são tocadas em um volume mais baixo e a intensidade das luzes é diminuída.

Criança que participou do evento “Papai Noel Se Importa (Foto: Divulgação/Autism Speaks)

“A ideia é remover alguns estímulos sensoriais para que a família com filhos autistas ou qualquer outra deficiência não tenha que se preocupar com todas aquelas informações, ao levar a criança”, disse Bama Hager. O ambiente é pensado e inteiramente preparado para que as pessoas se sintam à vontade e até o Papai Noel recebe um treinamento. Ele é orientado a buscar formas alternativas de interagir com os pequenos, algo difícil principalmente com os autistas.

“É incrível! E seria impossível fazer isso de outra forma”, relatou uma mãe que levou o filho autista para o encontro especial com o Papai Noel, ao CTV News. O projeto deu muito certo e a organização já planeja realizar ações semelhantes na Páscoa.