Professora decide inovar em contação de histórias para crianças

Preocupada com o fato das crianças não estarem mais ouvindo histórias para dormir, Keisha decidiu contá-las por meio de transmissões ao vivo na plataforma do Facebook

Categorias

Compartilhe

Da cidade de Chesapeake, Virgínia (EUA), Keisha Yearby, professora da escola Williams Primary, decidiu inovar a maneira que interage com as crianças ou trazer de volta uma tradição que sempre esteve presente nas noites dos pequenos. Preocupada com o fato das crianças não estarem mais ouvindo histórias para dormir, Keisha decidiu contá-las por meio de transmissões ao vivo na plataforma do Facebook.   

O “programa” se chama “Senhora Yearby Lendo Aventuras” e cada episódio dura cerca de 20 minutos. As transmissões atraem até 800 espectadores – geralmente crianças em idade escolar – a cada leitura, e permitem que elas interajam em tempo real por meio de comentários. A professora iniciou o programa em março de 2019 para os seus próprios alunos, mas, felizmente, agora ela possui telespectadores na Califórnia, Flórida e Carolina do Sul.

Keisha Yearby em uma das transmissões pelo Facebook Live (Foto: Reprodução The Washington Post)

De acordo com informações obtidas pelo jornal The Washington Post, há diversos estudos que comprovaram o valor das pessoas lerem em voz alta para as crianças, e alguns especialistas aconselham iniciar a ação quando os bebês atingem oito semanas de idade. A leitura em voz alta pode ajudar na conexão entre a criança e o seu responsável, além de impulsionar o desenvolvimento social e emocional dos pequenos. 

Keisha afirmou ter se inspirado em Belinda George, diretora de uma escola em Beaumont, Texas, que pratica a leitura para os alunos semanalmente pelo Facebook Live. A instituição onde Yearby trabalha é de baixa renda, o que foi um dos pontos que também a motivou a iniciar a ação inovadora.

Durante os episódios, Yearby pede as crianças que sejam boas com seus pais e os colegas de classe, e que sejam gratas pelas coisas que as fazem felizes. Elogiada pelos pais devido a capacidade de transmitir via Internet o entusiasmo que ela mostra ter em sala de aula, Keisha disse que se preocupa com o aumento do foco nos testes padronizados. Ela explicou que eles diminuem a oportunidade dos alunos de aprenderem com os professores em como serem bons amigos e lidarem com os desafios. “Não temos tempo para desenvolver essas crianças. Eles precisam aprender a ser pessoas. Eles precisam aprender a lidar com seus problemas.”

-Publicidade-

Quiana Thurston, mãe de Jayden, 7, Elijah, 10, e Amiyah, 5, contou que os três assistem ao programa e se alegra em ver que a ação da professora foi capaz de criar uma oportunidade para seus filhos se unirem, além de aprimorar as habilidades de leitura de Jayden, que assiste em um computador na cozinha com Elijah. “Eles fazem da leitura uma grande coisa de família”, disse Thurston. “Meus filhos realmente gostaram de vê-la ler as histórias.” 

Hoje, 7 de janeiro, é comemorado o Dia do Leitor! A data foi criada em homenagem à fundação do jornal cearense “O Povo”, criado em 7 de janeiro de 1928, pelo poeta e jornalista Demócrito Rocha. A literatura ainda é celebrada no Brasil em outras datas ao longo do ano, como o Dia da Literatura Brasileira (1 de maio) e o Dia Nacional do Livro (29 de outubro).