Por um fio! Durante incêndio, bebê de sete meses é salva pelo pai

O pai, desempregado, e a mãe, dona de casa moravam no bairro do Costa e Silva, em João Pessoa

Autor

Categorias

Compartilhe

Resumo da Notícia

  • Um incêndio invadiu a casa de uma família de sete pessoas;
  • O pai, desempregado, e a mãe, dona de casa moravam no bairro do Costa e Silva, em João Pessoa;
  • A filha mais nova do casal quase morreu no acidente.

Na última segunda-feira (01), um incêndio invadiu a casa de uma família de sete pessoas. Carlos Eduardo, desempregado, e Maria de Jesus, dona de casa, viviam com cinco filhos, no bairro do Costa e Silva, em João Pessoa.

De acordo com Carlos, todos estavam em casa, até que um dos filhos informou que uma lâmpada estava pegando fogo. Prontamente o pai foi pedir ajuda na casa vizinha. Contudo, o fogo se alastrou rapidamente, tomando conta da casa inteira. O homem só teve tempo de entrar e resgatar a filha mais nova, uma bebê de sete meses.

O Corpo de Bombeiros investiga a causa do incêndio, mas o pai acredita ter sido um curto-circuito na parte elétrica. Não houveram feridos.

Bebê é salvo de incêndio (Foto: Andy Watkins / Unsplash)

Aconteceu recentemente 

Na última semana, uma família de Itabira, em Minas Gerais sofreu um acidente doméstico. Nanatchara Marques, de 30 anos queimou 80% do corpo após acidente com álcool líquido. O filho da mulher,  Bernardo, de um ano e cinco meses, teve queimaduras na face, vias aéreas, membros superiores e inferiores e parte do tórax.

Mãe e filho são gravemente feridos após explosão (Foto: Reprodução/Arquivo pessoal)

O acidentes aconteceu quando  gás acabou na casa da família. Nanatchara tentava fazer um café em um fogão improvisado quando tudo aconteceu. A mulher decidiu usar álcool líquido, isqueiro e uma lata de alumínio para criar uma espécie de boca de fogão.

-Publicidade-

Entretanto, a experiência não deu certo. Ao tentar manter a labareda acesa, a mãe colocou mais álcool no experimento. O fogo acabou dominando a garrafa e gerando uma explosão. O pequeno Bernardo brincava ao lado da mãe no chão da cozinha. “O álcool que estava na garrafa puxou o fogo e o vidro estourou”, relembra Diemerson Junior Muniz,  de 25 anos e pai da criança.

Nesse momento,  Nanatchara soltou a garrafa e protegeu o filho com o corpo para que a explosão não atingisse o menino. Ela sofreu queimaduras de terceiro grau. “Ela estava jogada no chão, tentando apagar o fogo com a mão. Quando olhei para o lado da geladeira, percebi que meu filho também estava chorando e se queimando”, disse Diemerson que percebeu o acidente e encontrou a mulher em chamas.

Nanatchara e Bernardo foram transferidos para o Hospital João XXIII, em Belo Horizonte. Segundo o boletim médico, a mãe teve cerca de 80% do corpo queimado. Já a criança sofreu queimaduras na face, vias aéreas, membros superiores e inferiores e parte do tórax. O pai, ao tentar ajudar a esposa e o filho, sofreu queimaduras nas mãos.

De acordo com Diemerson, o filho se recupera bem. Mas a esposa, em estado grave, continua internada e provavelmente precisará de cirurgias plásticas para se recuperar totalmente.