Pai percorre 28 km de bicicleta toda semana para que os filhos possam estudar

A família não tem internet em casa e o sinal telefônico quase não funciona

Autor

Categorias

Compartilhe

Resumo da Notícia

  • Edemilson Wielgosz, de 47 anos, é pai de quatro filhos, sendo que os mais novos, de 16, 14 e 12 anos ainda vivem com ele em uma casa modesta em Guaratuba, litoral do Paraná;
  • A família não tem internet em casa e o sinal telefônico quase não funciona;
  • Justamente por isso o pai viaja 28 km para ajudar os filhos.

Edemilson Wielgosz, de 47 anos, é pai de quatro filhos, sendo que os mais novos, de 16, 14 e 12 anos ainda vivem com ele em uma casa modesta em Guaratuba, litoral do Paraná. A família não tem internet em casa e o sinal telefônico quase não funciona e justamente por isso o pai viaja 28 km para ajudar os filhos.

Pai viaja 28 km para ajudar filhos a estudarem (Foto: Arquivo pessoal)

Devido à Pandemia do coronavírus, as escolas passaram a adotar o ensino à distância. E para que os adolescentes não parem de estudar, mesmo sem computador e internet, Edemilson pedala até o município uma vez por semana para buscar materiais e tarefas para que os filhos estudem. O trajeto de ida e volta soma 28 km.

Em entrevista ao G1 o pai, que cuida sozinho dos filhos há nove anos disse: “Estou lutando para dar dignidade a eles. Falta muita coisa e o que temos é simples, mas nunca faltou carinho e empenho. Já passamos por muitas dificuldades, ainda dói, mas desistir não é uma opção. Nunca foi”.

O pai, que estudou até a quarta série, se orgulha em ver os filhos sonharem com as profissões: “Amabili parece que quer ser policial, Wellinton quer ser caminhoneiro, e a Nicole quer ser professora. Dá um orgulho ver eles sonhando e acreditando em um futuro melhor, né. Se Deus quiser vai dar tudo certo”.

-Publicidade-

Edemilson ainda justifica: “Eu mal tenho condições de colocar um prato cheio na mesa, quem dirá um computador e internet. É muito caro, eu não ia conseguir pagar nesse momento, então faço o que posso sem nem reclamar. Não é feio passar aperto, feio é não tentar mudar e fazer o melhor que pode”.