Padre se recusa a batizar bebê por medo de marca de nascença contagiosa

Caso aconteceu na Rússia; mãe disse que não é a primeira pessoa que reage dessa forma à sua filha

Categorias

Compartilhe

Maria Khvostantseva ficou bastante desapontada no batizado de sua filha, a pequena Vika, de seis meses. O padre ortodoxo se recusou a batizar a menina por conta de uma grande marca de nascimento que ela possui, que toma quase todo o espaço em suas costas.

O caso aconteceu na Rússia, na cidade de Kurgan. De acordo com informações do Daily Mail, a cerimônia de batismo era coletiva, contando com várias outras famílias presentes. Quando o padre expressou seu receio em consagrar a menina, outras famílias também se recusaram a prosseguir a cerimônia conjunta.

Foto: Reprodução

“O padre não queria tocar em Vika. Ele disse: ‘O local pode ser contagioso e acho que nossa congregação não entenderá isso'”, afirmou Maria em entrevista à um veículo de imprensa local.

-Publicidade-

Ainda segundo informações do Daily Mail, um porta-voz da igreja ortodoxa de Kurgan se manifestou sobre o caso. “Vamos conduzir uma investigação interna a respeito desse incidente. O padre em questão será punido, nós condenamos o que aconteceu. Tenho total certeza de que, se a mãe voltar à igreja, a cerimônia será realizada”, afirmou.