Número de cesáreas diminui com inclusão de doula e obstetriz

Um projeto da UFSCar implantado em hospital no interior de São Paulo gerou bons resultados

Categorias

Compartilhe

Um projeto de extensão da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), iniciado em setembro de 2018 propõe mudanças na rotina de hospital para o atendimento às gestantes. O projeto foi implantado no Hospital de Fornecedores de Cana (HFC), de Piracicaba, no interior do Estado de São Paulo.

Segundo o coordenador, Humberto Hirakawa, a situação encontrada no hospital não divergia da realidade da assistência obstétrica brasileira como um todo, com condutas não padronizadas e assistência centrada no médico. “A assistência precisa ser estruturada na relação médico-enfermeira-obstetriz permitindo uma atuação que une técnica e prática”, disse Hirakawa em reportagem feita pela Agência Brasil.

A proposta feita ao hospital foi em relação a uma organização do trabalho com a incorporação de novos profissionais, como obstetrizes e doulas, com atenção a escala de horários. Isso permite que os mesmo profissionais fiquem todos os dias no hospital, ao menos durante seis horas. Para professor da UFSCar, a presença de uma mesma equipe de profissionais transmite mais segurança para a gestante e continuidade dos procedimentos destinados ao atendimento às pacientes.

As medidas começaram a ser aplicadas em fevereiro de 2019 e os resultados foram imediatos. As intervenções contribuíram para redução do número de cesáreas e para melhoria do atendimento às pacientes e aos recém-nascidos na unidade.

A padronização nas condutas de cuidado à gestante e aperfeiçoamento do sistema de classificação de risco foram outras ações adotadas pelo hospital. “Oferecer uma dieta diferenciada à mulher em trabalho de parto e a adequação na ambiência dos quartos, criando condições mais favoráveis para o parto, são mais eficientes que intervenções feitas rotineiramente sem a devida comprovação de seu benefício”, destaca Nara, obstetra do hospital.

Foi registrada, além da redução do número de cesáreas, a diminuição da taxa de ocupação dos leitos da Unidade de Terapia Intensiva, UTI, Neonatal, de 80% para 45%. “Esse dado é bem curioso, porque não houve nenhuma medida específica com relação a isso, é consequência direta da melhoria da assistência à mãe no trabalho de parto.”, destaca Hirakawa.

A diminuição no número de incisões feitas na região do períneo para ampliar o canal de parto e o aumento no número de partos com acompanhantes, foram outros resultados positivos. De acordo com o docente, projeto de extensão está disponível gratuitamente aos interessados em implantá-los em hospitais e maternidades.

 

Dia da Doula

O dia 18 de dezembro é considerado o Dia da Doula. Este profissional é uma assistente de parto, sem necessariamente formação médica, que acompanha a gestante durante o período da gestação até os primeiros meses após o parto, com foco no bem estar, tanto físico quanto emocional da mulher.