Menino encontrado acorrentado em barril permanece em abrigo um mês após o caso

A criança tinha 11 anos e era torturada pelo pai, a madrasta e a filha da mulher. O caso gerou comoção nacional

Autor

Categorias

Compartilhe

Resumo da Notícia

  • No início de fevereiro, um menino foi encontrado em casa dentro de um barril de ferro com os pés e mãos acorrentados;
  • A criança tinha 11 anos e era torturada pelo pai, a madrasta e a filha da mulher;
  • A polícia chegou ao local após denúncias de vizinhos. O caso gerou comoção nacional.

No início de fevereiro, um menino foi encontrado em casa dentro de um barril de ferro com os pés e mãos acorrentados. A criança tinha 11 anos e era torturada pelo pai, a madrasta e a filha da mulher. A polícia chegou ao local após denúncias de vizinhos. O caso gerou comoção nacional e o garoto pode entrar para a adoção.

A vítima ainda segue em um abrigo da cidade esperando uma definição de seu destino. Segundo o MP (Ministério Público), “será feita uma avaliação com a família extensa para verificar a possibilidade de algum parente assumir a guarda da criança”. A nota ainda informou que “o tempo de tramitação desse processo vai depender da existência ou não desse familiar, e dos vínculos que existem entre ele e a criança”.

Criança é mantida em barril por pais (Foto: Freepick)

A possibilidade de adoção também é estudada. Segundo o MP, o processo segue em segredo de Justiça e a prioridade é “preservar a saúde física e mental da criança que foi muito violentada e posteriormente, muito exposta”, informou por meio de nota.

Relembre o caso

De acordo com a polícia, o menino era mantido em pé no espaço onde também fazia necessidades fisiológicas. O local era coberto por uma telha e havia uma pia de mármore por cima para impedir a saída dele. A denúncia ainda dizia que a criança era alimentada com casca de banana e fubá cru.

Menino mantido em barril (Foto: divulgação)

O  vídeo do momento em que ele é encontrado mostra que a criança mal conseguia se mexer quando foi encontrada. Ele tinha a cintura, pés e mãos acorrentados. O menino estava há quase cinco dias sem comer. O delegado responsável pelo caso acredita que a criança viveu aquela situação por cerca de um mês.

Os vizinhos disseram ainda que os maus-tratos à criança já ocorriam há anos, e apesar das denúncias ao Conselho Tutelar, o sofrimento do menino não parou. O admitiu que recebeu as denúncias de maus-tratos à criança há pelo menos 1 ano.

Quando encontrado, o menino foi encaminhado para um hospital. O pai do menino foi condenado e deve ficar preso por no mínimo oito anos. Já a namorada e a filha dela, se responsabilizadas apenas pela omissão, podem receber pena de 1 a 4 anos de detenção. A polícia arbitrou fiança de R$ 5 mil para cada uma delas.