Menino de sete anos é morto por bala perdida na frente de casa no Rio de Janeiro

Ítalo é a 16 ª criança baleada na Região Metropolitana do Rio em 2020

Autor

Categorias

Compartilhe

Resumo da Notícia

  • um menino foi baleado na porta de casa pela polícia em São João de Meriti, na Baixada Fluminense, Rio de Janeiro;
  • O menino ainda recebeu socorro, mas não resistiu ao ferimento;
  • O menino é a 16 ª criança baleada na Região Metropolitana do Rio em 2020.

Italo, de sete anos foi baleado na porta de casa (Foto: Reprodução / Instagram)

Na noite da última terça-feira (30), um menino foi baleado na porta de casa pela polícia em São João de Meriti, na Baixada Fluminense, Rio de Janeiro. O menino ainda recebeu socorro, mas não resistiu ao ferimento.

Testemunhas confirmaram que o tiro teria acertado a cabeça da criança. A polícia não informou a origem do disparo e nem as circunstâncias que ele teria ocorrido. 

De acordo com a Secretaria de Saúde da cidade.  Ítalo Augusto, de sete anos de idade, já chegou morto à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro, por volta de 20h30.

O menino é a 16 ª criança baleada na Região Metropolitana do Rio em 2020. O caso ainda é investigado. Apenas a irmã se manifestou nas redes sociais e escreveu: “Eu te amava tanto. Você era como um filho para mim. Além de irmã, eu era a sua madrinha. Eu não quero acreditar que você morreu desta forma”.

-Publicidade-

Mais uma criança baleada pela polícia 

Uma operação policial acabou mal em Balneário Barra do Sul, no Norte de Santa Catarina, na terça-feira (9). Durante uma operação contra o tráfico de drogas, aconteceu um tiroteio e um menino de 10 anos foi usado como escudo humano pelo padrasto para inibir a polícia. 

A polícia fazia uma operação e visitou a casa do atirador para fazer um procedimento de busca e apreensão. Segundo o delegado Tiago Escudeiro, que estava na ação, os policiais foram recebido com tiros pelo morador e revidaram os ataques até perceberem  o grito da mulher. 

Mãe e filho foram resgatados e o atirador foi preso. A polícia assumiu a culpa dos disparos que atingiram aos envolvidos. O delegado responsável pelo caso afirmou que, se necessário, sua equipe será submetida à investigação da corregedoria.