Menina é enterrada na praia para que mãe pudesse entrar no mar “sossegada”

Caso aconteceu em Buenos Aires, na Argentina

Categorias

Compartilhe

Resumo da Notícia

  • Uma criança de três anos foi enterrada na areia para que a mãe e outras duas pessoas pudessem ir para o mar “sossegados”.
  • O desespero da menina chamou a atenção dos turistas e a polícia foi acionada.
  • A criança foi resgatada e duas das três pessoas foram identificadas e presas.

Na última segunda-feira (3), três pessoas enterraram uma criança de apenas dois anos até o pescoço na areia para conseguirem entrar no mar “sossegadas”. Os turistas ficaram chocados e assustados com a cena. A menina chamou atenção porque não parava de chorar. O caso aconteceu na praia de Santa Clara del Mar, em Buenos Aires, na Argentina.

“Cerca de 35°C de sensação térmica! Imagine como aquela menina estava”, afirmou uma testemunha, em entrevista ao portal de notícias Clarín. Os turistas que estavam no local chamaram a polícia. De acordo com fontes, os três passaram o dia “fazendo obscenidades e com uma conduta bastante indecente para um lugar cheio de famílias”. A criança foi retirada com a ajuda dos turistas e da polícia.

Após ajudar no resgate, a equipe conseguiu, com a ajuda da criança, identificar apenas as duas mulheres: a mãe da menina, que é paraguaia, e uma amiga, ambas com 29 anos. O homem, que também ajudou a enterrar a menina, fugiu do local. Elas também teriam agredido os policias e foram prestas por ataque e resistência à autoridade. Foram encontradas com as mulheres drogas psicoativas, ecstasy e maconha. A menina não ficou ferida e se encontra em um lar infantil.

Menina é enterrada na praia para que mãe pudesse entrar no mar “sossegada” (Foto: Reprodução/ Clarín)

Bebê morre em queda logo após o parto

Outro caso que aconteceu na argentina e chamou a atenção foi o de um bebê recém-nascido que morreu após os médicos não terem conseguido pegá-lo quando a mãe, Stefania Mondragon, fez força durante o parto para o filho nascer. O acidente ocorreu em uma clínica chamada Sanatório Pronto, na cidade Gualeguaychu, a três horas da capital Buenos Aires. O pai de Valentino, Claudio Mondragon, disse que testemunhou a queda do filho após a mulher dar a luz, que estava grávida de 37 semanas. O parto aconteceu por volta das 14h.

De acordo com o jornal Mirror, o bebê foi transferido para o Hospital San Roque, localizado na cidade do Paraná. Porém, antes de sua chegada, a criança já havia falecido. Em entrevista ao jornal local, El Dia, Claudio disse que Stefania estava em trabalho de parto e prestes a dar a luz quando os médicos pediram que ela fizesse força para Valentino sair. “Ele saiu muito rápido e ninguém o agarrou e ele caiu no chão. A parteira não teve tempo de pegá-lo e o obstetra não reagiu. A única coisa que eles fizeram foi levantá-lo do chão e colocá-lo em uma incubadora e levá-lo para outro hospital”.