Menina sofre de doença rara que faz com que ela ainda seja do tamanho de um bebê

Além de Violet, apenas 30 pessoas já foram diagnosticadas com o gene raro

Categorias

Compartilhe

Resumo da Notícia

  • Violet Cocking é portadora de um raro gene do nanismo
  • Apesar de já ter quatro anos de idade, ela é pouco maior que a irmã mais nova, de apenas quatro meses de vida
  • Como Violet nasceu após 36 semanas de gestação, o fato de ela ser menor do que um bebê normal não chamou a atenção dos pais

Violet Cocking tem quatro anos de idade. No entanto, uma doença rara faz com que ela seja apenas alguns centímetros mais alta que sua irmã, Ada – que tem apenas quatro meses. Violet é portadora de uma variação do nanismo, uma condição que afeta apenas 30 pessoas em todo o mundo.

A mãe de Violet, Charlotte, estava preocupada com o tamanho da filha desde o seu nascimento. Por mais de dois anos, nenhum médico foi capaz de identificar o que impedia a menina de crescer. Após um período bastante turbulento, um teste genético revelou que Violet apresentava nanismo osteo displásico microcefálico primordial tipo 1 – uma condição genética herdada de ambos os pais, apesar de recessiva.

Violet e os pais; casal é portador de raro gene do nanismo, que se manifestou na filha (Foto: Reprodução/Mirror)

“As pessoas pressupõem que Violet é um bebê. Então, quando eu lhes digo sua idade real, me olham com uma expressão muito confusa. Ela se adaptou bem à escola, mas exige apoio extra – ela tem uma amiga muito boa, Willow, que cuida dela. Willow tem mais ou menos 30 centímetros a mais que Violet, o que é uma altura normal para a idade delas”, conta a mãe, em entrevista ao jornal Mirror.

Violet ao lado de sua amiga, Willow – ambas tem quatro anos de idade (Foto: Reprodução/Mirror)

Como Violet nasceu após 36 semanas de gestação, o fato de ela ser menor do que um bebê normal não chamou a atenção dos pais. “Com o passar dos meses, ela mal cresceu, e fiquei muito preocupada ao perceber que ela ainda estava usando roupas de recém-nascido aos seis meses de idade. Ela não era muito maior que uma caneca aos três meses, e, mesmo agora, ela ainda usa sapatos feitos para crianças de dois anos”, comenta Charlotte Cocking.

O casal descobriu uma instituição de caridade chamada “Walking with the Giants” (Caminhando com os gigantes, em tradução livre), que possui uma equipe genética especializada que já havia diagnosticado outras cinco crianças com a mesma condição de Violet no Reino Unido. Após a identificação da condição de nanismo, Violet passou a receber cuidados especiais e está se desenvolvendo – ela aprendeu a andar apenas sete meses atrás, aos três anos de vida.

Charlotte temia que sua segunda filha, Ada, pudesse ter a mesma condição, mas uma amostra de vilosidades coriônicas realizada logo na 11ª semana de vida da caçula confirmou que ela nasceu sem o gene raro do nanismo. “A condição de Violet não a impede de ser uma irmã mais velha incrível. Ela sempre traz seus brinquedos e se diverte com Ada”, diz a mãe. E completa, cheia de esperança: “Violet não é uma criança típica, mas é inteligente e engraçada. Sua fala pode não estar tão desenvolvida para a idade, e algumas pessoas não entendem o que ela diz, mas ela está progredindo.”