Médica trabalha bêbada em parto e causa morte de gestante

A mulher foi condenada a três anos de prisão na França, perdeu a licença e deve  pagar cerca de 1,4 milhões de euros de indenização ao filho da vítima

Autor

Categorias

Compartilhe

Resumo da Notícia

  • Na última quinta-feira (12), uma médica anestesista belga, de 51 anos, foi acusada de matar uma paciente após ter cometido um erro grave – que se deu, porque a mulher estava embriagada;
  • Condenada, a acusada  perdeu a licença que a permitia atuar na área da saúde.
  • A paciente estava grávida e perdeu a vida.

Na última quinta-feira (12), uma médica anestesista belga, de 51 anos, foi acusada de matar uma paciente após ter cometido um erro grave – que se deu, porque a mulher estava embriagada. Condenada, a acusada  perdeu a licença que a permitia atuar na área da saúde.

O crime aconteceu em setembro de 2014, na cidade de Orthez. Durante um parto, a mulher aplicou uma anestesia epidural em uma britânica de 28 anos. Mas, devido às complicações, uma cirurgia cesárea de emergência foi necessária. E neste momento, o erro aconteceu.

Médica faz parto embriagada (Foto: Freepick)

Segundo os investigadores, a doutora entubou a via digestiva no lugar da respiratória sem perceber e acabou provocando o que os promotores chamaram de carnificina. Não demorou e a gestante perdeu o oxigênio e morreu. Já o bebê sobreviveu.

-Publicidade-

De acordo com testemunhas do caso, a médica sempre trabalhava embriagada e no dia cheirava álcool. A anestesista confessou em depoimento que  começou seu dia bebendo vodca com água como fazia rotineiramente.

Helga Wauters foi condenada a três anos de prisão na França, perdeu a licença e deve  pagar cerca de 1,4 milhões de euros (1,6 milhões de dólares) de indenização ao filho da vítima e sua família.