Mãe observa sintoma estranho em recém-nascida e médicos dizem para ela “parar de ser ridícula”

Emmy era uma bebê sorridente desde que nasceu, mas a mãe, Vanessa, suspeitou que isso poderia ser um problema

Categorias

Compartilhe

Resumo da Notícia

  • Vanessa reparou um comportamento estranho em sua filha recém-nascida
  • A pequena Emmy estava sempre sorridente e nasceu com os dedos mindinhos virados para dentro
  • Ao consultar diferentes equipes médicas, ela ouviu que estava apenas “procurando coisas”

Quando Emmy, filha de Vanessa, nasceu, ela sorriu para a mãe. De acordo com ela, a pequena era um “bebê pequenino com um sorriso enorme”. Porém, logo após o nascimento da criança, Vanessa percebeu que, além do sorriso constante, Emmy não se parecia com a irmã mais velha e também havia nascido com os dedos mindinhos virados para dentro.

Recém-nascida sorridente levanta suspeitas na mãe, Vanessa (Foto: Reprodução)

De acordo com o site Kidspot, Vanessa passou oito dias indo e voltando ao hospital, preocupada com sua bebê. Depois de fazer sua própria pesquisa, ela descobriu que ter os dedos mindinhos voltados para dentro pode ser um sinal presente em várias síndromes, e ficou surpresa por nenhum médico ter ficado em alerta com a situação. Pelo contrário: ela ouviu de diferentes equipes médicas que estava “procurando coisas” ou para “parar de ser ridícula”.

Após a bebê apresentar um sopro no coração, o cardiologista enfim informou Vanessa de que sua filha poderia ter um problema. Ela foi então diagnosticada com a síndrome de Williams, que pode ser caracterizada por problemas de aprendizagem, características faciais distintas e problemas cardíacos. Em 2013, a criança chegou a ter duas paradas cardíacas durante uma cirurgia!

Hoje, Vanessa diz que sua filha está se desenvolvendo bem, mas sente insegurança em relação ao futuro. “Para mim, dias especiais ao lado da minha filha são qualquer dia. Não preciso fazer uma viagem para a Disney, basta aconchegar-me com ela em um dia chuvoso. Adoro nossas conversas em família à noite, Emmy é hilária. Ela fica quieta por cinco minutos, apenas ouvindo, e depois arremata a conversa com uma frase que quase nos mata de tanto rir”, conta a mãe.

-Publicidade-
Emmy, portadora da Síndrome de Williams, mudou a vida de sua família (Foto: Reprodução)

De acordo com a FioCruz, a Síndrome de Williams é uma desordem genética que, talvez, por ser rara, freqüentemente não é diagnosticada. Sua transmissão não é hereditária. Crianças portadoras da doença em geral possuem nariz pequeno e empinado, cabelos encaracolados, lábios cheios, dentes pequenos e sorriso constante. Estas crianças normalmente apresentam problemas de coordenação e equilíbrio, apresentando um atraso psicomotor. Seu comportamento é sociável e comunicativo embora utilizem expressões faciais, contatos visuais e gestos em sua comunicação.

A mãe de Emmy afirma que muitas pessoas pensam erroneamente que a síndrome de Williams significa que sua filha é feliz o tempo todo, mas diz que sua filha passa por toda a gama de emoções como qualquer outra pessoa. Ela espera que a filha seja capaz de alcançar tudo quiser. “Eu adoraria ver Emmy dirigindo um carro, indo para a faculdade e se casando – se ela quiser, é claro”, conclui a mãe. Vanessa mantem um blog sobre a síndrome de Williams e o desenvolvimento de sua filha: você pode acessá-lo (em inglês) clicando aqui.