Mãe mata filha de três anos com marteladas após exagerar em antidepressivos

Depois do crime, a mãe tentou se matar mas não conseguiu e deve ser presa

Autor

Categorias

Compartilhe

Resumo da Notícia

  • Depois de tomar uma quantidade exagerada de antidepressivo, uma mulher matou a própria filha, de três anos, a marteladas;
  • Depois do crime, a mãe tentou se matar mas não conseguiu;
  • Gravemente ferida foi encaminhada a um hospital e deve ser presa.

Depois de tomar uma quantidade exagerada de antidepressivo, uma mulher matou a própria filha, de três anos, a marteladas. Depois do crime, a mãe tentou se matar mas não conseguiu. Gravemente ferida foi encaminhada a um hospital e deve ser presa.

Natalia Petunina vivia com a filha e o marido em Kirovgrad, na Rússia. Sozinha com a filha, a mulher teria espancado inúmeras vezes a criança com um martelo. Foi o pai quem descobriu o crime após voltar do trabalho para almoçar e encontrar a filha em uma poça de sangue.

O homem até chamou a equipe de resgate, mas a garota já estava morta. De acordo com um porta-voz da polícia, antes do crime, a mulher teria tomado altas doses do remédio – o que teria provocado o aumento da agressividade.

Mãe mata filha a marteladas (Foto: Reprodução/ Facebook)

De acordo com a mãe da criminosa, a filha precisava muito dos remédios: “Minha filha vivia com medos constantes e tomava antidepressivos prescritos. Quando ela via uma ambulância ou carro de polícia na rua, ela entrava em pânico pensando que eles estavam atrás dela”, desabafou a avó da criança.

-Publicidade-

Familiares e amigos garantem que a mulher era uma boa mãe e nunca se apresentou violenta. ”Sempre que eu a via, Natalia estava sempre de bom humor. Amava muito a filha, cuidava muito bem dela. A garota sempre estava vestida de maneira elegante e bonita”, afirmou uma amiga.

A mãe pode pegar até 20 anos de cadeia caso saia do hospital.