Mãe fala das sequelas da filha após estupro: “Começou a desenhar nos brinquedos e desaprendeu a ler”

A menina passou um tempo na casa do avô e foi o enteado quem praticou os crimes

Autor

Categorias

Compartilhe

Resumo da Notícia

  • Uma mãe de 29 anos, mãe de uma menina de oito, relatou as sequelas da filha após sofrer abusos sexuais;
  • A menina passou um tempo na casa do avô e foi o enteado quem praticou os crimes;
  • Desde esse momento, a garota passou a mudar o comportamento e a mãe relatou.

Uma mãe de 29 anos, mãe de uma menina de oito, relatou as sequelas da filha após sofrer abusos sexuais. A menina passou um tempo na casa do avô e foi o enteado quem praticou os crimes. Desde esse momento, a garota passou a mudar o comportamento – “Ela mudou muito, passou a ter pesadelos, voltou a fazer xixi na cama, começou a desenhar nos brinquedos, como fez com a boneca, não sabe mais ler”, contou a mãe em um relato ao Uol.

No depoimento, a mulher contou que deixou a filha ir à cidade vizinha visitar o avô: “Não víamos problema nenhum nisso, os dois sempre tiveram um carinho imenso um pelo outro. Na mesma casa morava o enteado dele, que tem 23 anos. Para a gente, ele sempre foi um bom rapaz”, explicou.

No entanto, quando a criança voltou para casa, a mãe percebeu uma mudança de comportamento: “estava bem sensível, irritada, distante”, falou. Apenas dois meses depois, a criança confidenciou o crime à irmã mais velha. “Ela disse para a irmã: ‘Ele brincou de namorado comigo, mas pediu para eu não contar porque a mãe vai me bater’. Só falou isso”, contou a mãe que soube da história depois.

“Vivi vários dias de angústia. Até o dia em que ela levou um celular para a escola, a diretora estranhou e foi falar com ela. Ela só dizia: ‘Meu tio. Minha mãe vai ficar muito brava’”, disse. A mulher aproveitou para explicar a situação e pedir ajuda a gestora escolar e foi ela quem descobriu o que aconteceu de fato nas férias da criança.

“O homem que se nomeou tio, mesmo não sendo nada dela, manipulou a minha filha a cada vez que ia encostar nela. Os detalhes são dolorosos. Ela contou que ele colocava o dedo na sua parte íntima, e quando ela falava que estava doendo, ele abaixava mais a calça dela e colocava a boca. Como ele fez isso? Com uma criança de oito anos? E mesmo tendo mais gente na casa?”, relatou abalada.

A mulher fez um boletim de ocorrência, exame no IML [Instituto Médico Legal] e conseguiu com a ajuda de um psicólogo, a confirmação de estupro. E mesmo após iniciar um tratamento psicológico, a menina perdeu o interesse em todas as coisas que costumava gostar de fazer.

-Publicidade-

De acordo com a mãe, a filha desaprendeu a ler: “Do nada, não consegue mais ler palavras básicas que já sabia ler antes. É como se nunca tivesse aprendido”.Além disso, a menina não brinca mais e tem medo de usar o banheiro.

“São marcas dolorosas que, aos poucos, sei que ela vai superar, mas são marcas desnecessárias causadas por uma maldade. Esse indivíduo era o mais amigável. E, na verdade, só queria esconder como é sujo. O meu sentimento como mãe é indescritível, fico ouvindo repetidamente o que ela relatou na minha cabeça. E não, não é mentira. Uma criança jamais fantasia uma coisa desse nível”, desabafou.

Menina sofre estupro e desenha em boneca (Foto: Arquivo pessoal)

“Recentemente, vi em uma boneca um desenho que ela fez, talvez na época, e passou despercebido, mas é um desenho que demonstra o que ela viveu e que, por ser criança, não sabe expor em palavras”, contou. “Hoje eu vejo que ela queria que a gente notasse o que estava acontecendo. Nenhuma criança que está bem muda o comportamento à toa. Eles não sabem chegar e falar abertamente, eles pedem socorro só com o olhar”, lamentou.

O processo ainda não foi finalizado, então, o suspeito está em liberdade.