Mãe escondeu o corpo do bebê morto nas paredes de casa por quase 1 ano

O caso aconteceu na Carolina do Norte, nos Estados Unidos, onde a mãe confessou o ocorrido para a polícia. Segundo ela, a criança morreu de um mal súbito aos 4 meses de vida

Categorias

Compartilhe

Resumo da Notícia

  • Uma mãe confessou que manteve o corpo de seu bebê morto enterrado nas paredes de casa por quase 1 ano
  • O caso aconteceu na Carolina do Norte, nos EUA
  • Segundo a mulher, a criança faleceu de um mal súbito aos 4 meses de idade

Kylie Wilt, de 25 anos de idade, confessou que manteve o corpo de seu bebê morto há quase 1 ano enterrado nas paredes de casa. Segundo ela, a criança faleceu aos 4 meses de idade após um mal súbito infantil e, por não ter dinheiro para arcar com as despesas do velório, decidiu colocar o corpo da criança nas paredes da residência em que está morando.

Durante o depoimento, Kylie contou que colocou o corpo do bebê em uma caixa de sapatos e fez um buraco na parede. Então, encaixou-o no local e tapou o buraco com gesso. Na semana passada, ela foi procurada por policiais sobre o paradeiro da criança – que estaria, atualmente, com 1 ano de vida.

Kylie e o marido estão sendo investigados
Kylie e o marido estão sendo investigados (Foto: Reprodução/ UOL)

A mãe chegou a afirmar que o filho estaria com outra pessoa antes de confirmar a verdade. Kylie e a criança eram monitoradas porque o bebê nasceu com THC (tetra-hidrocarbino) em seu organismo. THC é da família dos fenóis e um dos principais componentes da maconha.

Agora, Kylie e o marido estão sendo acusados de ocultar a morte de uma criança, abuso de cadáver, obstrução da justiça, fraude previdenciária e adulteração de provas. A vizinha do casal testemunhou sobre o caso, e declarou:

“Eu costumava ouvir o bebê chorando o tempo todo. E de repente, isso parou de acontecer. Perguntei a ela sobre o bebê e ela me disse que ele havia morrido. Eu estava pensando, eu estou aqui o tempo todo e nunca vi uma ambulância. Você não ligaria para a emergência se o seu bebê não estivesse respondendo a você?”. O casal ainda morava com outras três crianças, que estão desaparecidas.