Mãe é investigada por queimar bebê de seis meses com cigarro

O caso aconteceu em Rio Verde, Goiás. A identidade da mãe não foi divulgada

Autor

Categorias

Compartilhe

Resumo da Notícia

  • Mãe é acusada de queimar propositalmente o próprio filho, um bebê de seis meses, com um cigarro;
  • O caso aconteceu em Rio Verde, Goiás. A identidade da mãe não foi divulgada;
  • A polícia ainda investiga o motivo do crime

Mãe é acusada de queimar propositalmente o próprio filho, um bebê de seis meses, com um cigarro. O caso aconteceu em Rio Verde, Goiás. A identidade da mãe não foi divulgada. A polícia ainda investiga o motivo do crime.

Os pais da criança são usuários de drogas, e a mãe da bebê acionou a polícia por outro motivo: o pai tinha levado a criança de casa sem o consentimento da mulher. Mas, quando a polícia chegou ao bebê, foram notados sinais de maus tratos.

Quando os responsáveis pela criança chegaram à delegacia, o pai do menino disse à polícia que a mulher havia queimado o filho com cigarro. Já a mãe do bebê disse que estava fumando e que caiu uma brasa de cigarro sem querer no menino.

-Publicidade-
Mãe queima bebê com cigarro (Foto: Freepick)

Após a realização de exames, ficou constatado que o atrito foi provocado propositalmente. Mas, como a lesão não era atual, a mãe não foi detida, por não se tratar de uma situação de flagrante. Mas, o bebê e a irmã de três anos ficaram com o Conselho Tutelar e levados a um Centro de Acolhimento ao Menor.

De acordo com o delegado responsável pelo caso: “A mãe deve responder por lesão corporal, pelos maus-tratos e por outros crimes que porventura tenha praticado, especialmente contra essa criança e, se inocentada, se verificado que não existe nenhum crime a ser imputado contra ela, ela deve voltar a ter guarda das suas respectivas crianças”, afirmou.