Mãe desabafa sobre não ter tido vontade de abraçar a filha: “Quando eu a segurava, não sentia nada”

A mulher usou a visibilidade do seu Instagram para fazer um relato sobre Depressão pós-parto

Autor

Categorias

Compartilhe

Resumo da Notícia

  • Brittney Harding é mãe e usou a visibilidade do seu Instagram para fazer um relato sobre Depressão pós-parto;
  • Em um desabafo sincero, a mãe falou sobre o misto de tristeza e culpa por não sentir vontade de abraçar a filha o máximo que pôde.
  • A mulher ainda aconselhou as seguidoras.

Brittney Harding é mãe e usou a visibilidade do seu Instagram para fazer um relato sobre Depressão pós-parto. Em um desabafo sincero, a mãe falou sobre o misto de tristeza e culpa por não sentir vontade de abraçar a filha o máximo que pôde.

“Quando a minha primeira filha nasceu, ela foi diretamente para a UTI Neonatal. Eu não a vi, segurei ou criei um vínculo com ela nas suas primeiras 48 horas de vida. E quando eu pude finalmente vê-la… Eu não queria segurá-la. Mas eu fiz porque eu sabia que deveria. Semanas se passaram e eu tive que segurar essa pequena bebê em meus braços, cuidar, me importar e amá-la. Mas não porque eu “queria” ou “sentia” isso. Mas porque eu sabia que eu deveria”, escreveu Brittney.

A mulher contou que não reconhecia aquela bebê como filha em decorrência do transtorno psicológico:  “Eu lembro de olhar para os seus doces olhos e pensar: “quem é você?”. Eu sabia que eu a amava, era sua mãe e que aquele era meu trabalho, mas faltava o sentimento… Ela chorava e imediatamente meu sentimento era de irritação em vez de preocupação. Quando eu a segurava, eu não sentia nada. Eu sentia uma sombra de uma emoção que sabia que deveria sentir, mas não sentia”.

Mãe sofre Depressão pós-parto (Foto: Instagram)

“Levei meses para construir uma relação, conhecer aquela pequena humana que eu criei, me apaixonar por ela e, finalmente, cruzar para o outro lado da depressão pós-parto como uma mãe que ama sua filha ferozmente. Mas isso veio com um preço”, detalhou.

“Eu carrego uma nuvem de culpa todos os dias. Há horas, dias e semanas que eu perdi. Há aconchego, mamadas noturnas e outros incontáveis momentos que eu perdi. Há um laço que eu deveria ter construído, mas eu não o fiz. Tiveram muitos momentos que a minha bebê só precisava ser segurada por mim, mas eu não estava lá. Eu perdi todas essas coisas, porque eu não me importava. Porque eu não conseguia me importar. E por essa razão eu vou sentir culpa pelo resto da minha vida. E deixa eu te contar uma coisa… o peso disso é grande”, desabafou Brittney.

-Publicidade-

Com a chegada de um segundo filho, e dessa vez com um pós parto diferente, a mãe contou que sente muita culpa até hoje pela atenção que não deu a primogênita. A mulher ainda escreveu às seguidoras: “Compartilho isto porque sei que não estou sozinha. Foi difícil dizer em voz alta. Mas para a mãe que vive esta luta, eu quero que você saiba: eu vejo você, eu sinto você e eu sou você!”.

Depressão pós-parto

Depressão pós-parto (Foto: Freepick)

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, 25% das mulheres que vivem em países em desenvolvimento sofrem com Depressão pós-parto. Ou seja, precisamos falar sobre isso! Cada vez mais vemos notícias de mães, que tiveram filhos saudáveis, partos tranquilos e  aparentemente tudo perfeito, mas que estão tristes após o nascimento do bebê. E se isso acontecer, você pode estar doente. Mas fique tranquila, entenda o que é a Depressão pós-parto, conheça os sintomas, saiba como tratar e de que forma a sua família pode te ajudar. Afinal, quanto antes se der o tratamento, mais rápida é a recuperação.

Clique aqui e saiba mais!