Mãe desabafa após expulsar criança da festa de aniversário da filha

“Quem diria não a uma criança? Afinal, não é culpa deles”, disse a mulher, alegando que a responsabilidade é dos pais

Autor

Categorias

Compartilhe

Resumo da Notícia

  • Um mulher decidiu fazer um festa de aniversário para a filha de 10 anos;
  • Entretanto, a mãe se revoltou ao ver uma família levando uma criança que não tinha sido convidada; 
  • A mulher expulsou a criança da festa.

Mãe expulsa criança de festa (Foto: Joshua Hoehne /Unsplash)

Um mulher decidiu fazer um festa de aniversário para a filha de 10 anos. Em meio ao isolamento social, a mãe preparou kits de artesanato para que as crianças pudessem se divertir mantendo distância umas das outras. A ideia era manter uma festa com poucos convidados. Entretanto, a mãe se revoltou ao ver uma família levando uma criança a mais. 

A mãe comentou que especificou aos pais das crianças que não permitiria a entrada de quem não tivesse sido convidado, porque ela pagaria por pessoa. “Às vezes, mais de um dos pais faz isso e, honestamente, acho egoísta. Se foi combinado com a família anfitriã, certamente está tudo bem, mas muitas vezes não é. Quem diria não a uma criança? Afinal, não é culpa deles”, contou.

No entanto, um dos pais levou uma criança não convidada para a festa. Inconformada com a situação, a mãe não permitiu que as crianças compartilhassem os kits de materiais. A mulher relata que manteve sua decisão mesmo quando a criança, que não foi convidada, fez birra para ficar na festa. “Os pais não fizeram nenhum movimento para acalmá-la, mas, em vez disso, me culparam por dizer não”.

-Publicidade-

Os pais foram embora com as duas crianças. Os convidados da festa ficaram inconformados com o fato de a mulher ter expulsado o pequeno. Mas a mulher se explicou: “se este tivesse sido um evento ‘normal’ em casa, com certeza eu provavelmente não teria me incomodado. Mas esse foi um evento pago por criança e dificilmente é justo para as crianças A ou B que elas precisem compartilhar um pacote de artesanato”.

A mulher ainda afirmou que não se arrependeu e disse: “Sinto que ensinar a meus filhos o valor da sua palavra e cumpri-la é mais importante do que poupar os sentimentos de uma criança e dos pais que deveriam se atentar mais”.