Mãe dá à luz após sofrer ataque do coração

Caso aconteceu nos Estados Unidos

Categorias

Compartilhe

Uma mulher da Carolina do Norte deu à luz uma menina apenas cinco dias após sofrer o que os médicos descreveram como um tipo raro de ataque cardíaco. Caso aconteceu no Centro Médico Wake Forest, em Winston-Salem, na Carolina do Norte, Estados Unidos.

De acordo com comunicado emitido pelo hospital, Brittany Little, 29, estava grávida de oito meses de seu terceiro filho quando sofreu uma dissecção espontânea da artéria coronária, um tipo de ataque cardíaco que ocorre quando o revestimento da artéria começa a se desfazer. Ela foi atendida pela equipe de cardiologistas de um hospital em Hickory, que realizaram uma cirurgia de emergência na artéria coronária esquerda de Brittany. No entanto, ela entrou em parada cardíaca durante o procedimento, fazendo com que a equipe médica decidisse encaminhá-la ao Centro Médico Wake Forest, a 117 quilômetros de distância.

Assim que a futura mãe chegou à UTI do hospital, sua condição cardíaca foi estabilizada. A partir de então, a equipe médica passou a monitorar também o coração do bebê, diariamente. “Estávamos diante de um dilema: intervenções no coração da mãe podem afetar o bebê e intervenções no bebê podem afetar o coração da mãe”, disse o Dr. Michael A. Kutcher, cardiologista responsável pelo acompanhamento de Brittany. “Quando ia dormir à noite, pensava em Brittany e seu bebê, e quando acordava estava pensando neles também.”

A equipe médica, então, decidiu que o melhor a fazer seria realizar uma cesariana; dessa forma, os médicos teriam condições de realizar uma intervenção cardíaca avançada caso fosse necessário durante o parto. Em 8 de novembro, Brittany Little deu à luz uma menina saudável, sem nenhuma complicação cardíaca para a mãe ou para a criança.

“Havia muita gente naquela sala para garantir que Nova e eu estivéssemos seguras e saíssemos vivas de lá. Nunca esquecerei o quão bem todos trabalharam juntos”, disse Brittany em entrevista ao jornal Washington Times. Mãe e filha já estão em casa e passam bem.

“Ouvir o choro de um recém-nascido ao nascer é maravilhoso, e é um som que nem sempre os cardiologistas tem a oportunidade de ouvir”, relembra Kutcher. “Tenho certeza de que todos os envolvidos se lembrarão desse momento por muito tempo. Foi muito especial fazer parte de uma equipe que ajudou a trazer uma nova vida ao mundo, com segurança e sob circunstâncias que poderiam ser terríveis.”