Litoral de SP: choro de bebê alerta equipes de resgate e família consegue ser salva

Moradores da região ouviram a criança e conseguiram localizar a família que estava soterrada

Autor

Categorias

Compartilhe

Resumo da Notícia

  • Na última terça feira (3), as fortes chuvas no litoral paulista provocaram acidentes
  • Muitos foram mortos ou feridos
  • O choro de uma bebê salvou a vida de uma família

Na madrugada da última terça feira (03), as fortes chuvas no litoral paulista provocaram alagamentos, deslizamentos de terra e quedas de barreiras nas estradas.  O acidente deixou mortos e feridos. Mas, o choro de uma bebê de três meses salvou uma família.

Moradores ouviram a criança e localizaram a família nos escombros, no Guarujá. A ação salvou a vida da bebê e de seus pais. Entretanto, Aliffer Adailton Granero da Silva, de seis anos e Allana Granero de Oliveira, de três, irmãos da pequena, não conseguiram ser salvos e foram mortos pela tragédia.

Fabiana Granero, de 42 anos, avó das duas vítimas contou em entrevista ao G1, que a família perdeu tudo o que tinha: “O mais dolorido são as vidas que se perdem, nada paga isso. Minha filha e o marido só foram socorridos a tempo porque a bebê chorou e as pessoas conseguiram localizar onde eles estavam pelo choro da menina”. A mulher continuou: “Eles estavam cobertos de tantos escombros que foi mais de uma hora para a comunidade conseguir tira-los de lá. Mesmo assim, os três sobreviveram”, contou.

Os sobreviventes foram encaminhados ao hospital e logo, liberados. Aliffer e Allana estavam soterrados por muitos escombros, e, só, foram encontrados depois,  pelo Corpo de Bombeiros.  As crianças não foram salvas a tempo. O sepultamento aconteceu na última quarta-feira (4).

Alana e Allifer mortos em desabamento (Foto: Reprodução / Facebook)

“Minha filha está abalada, é um sentimento que não da para explicar. Todos choraram muito. O mais difícil é, só sermos enxergados pelo poder público em momentos de tragédia. Os moradores do morro precisam de estrutura”, desabafou a avó.

A família está morando na casa de Fabiana. “É pequena, mas é o que temos agora”, explicou. A mulher ainda disse que, a família de sua filha precisa de doações de móveis, comida e utensílios para bebê, como fraldas e sabonetes.

De acordo com a Defesa Civil do Estado, até o começo da manhã da quarta-feira (4), havia 155 desabrigados em Guarujá, seis em São Vicente e 37 em Santos. Também há 11 desalojados em São Vicente.