Justiça! Homem é condenado após matar neta e avó a facadas

O homem foi condenado a quarenta e três anos de prisão pelos assassinatos de Simone Maria Almeida da Costa, 40, e a neta dela, Emili Eduarda Costa dos Santos, de apenas dois anos

Categorias

Compartilhe

Resumo da Notícia

  • O caso aconteceu no Município no Rio Grande do Sul em Caxias do Sul
  • O homem foi condenado a 43 anos de prisão pelos assassinatos de Simone Maria Almeida da Costa e a neta Emili Eduarda Costa dos Santos, de 2 anos
  • O duplo homicídio aconteceu no bairro Fátima Baixo em dezembro de 2015

Nesta última quinta-feira, 26 de novembro, no Município no Rio Grande do Sul, o Tribunal do Júri de Caxias do Sul condenou um Claudinei Batista de Oliveira, de 43 anos a prisão após cometer dois assassinatos cruéis. O homem foi condenado a quarenta e três anos de prisão pelos assassinatos de Simone Maria Almeida da Costa, 40, e a neta dela, Emili Eduarda Costa dos Santos, de apenas dois anos.

Família comemorou a condenação do homem (Foto: Reprodução / Arquivo Pessoal / Pioneiro)

Segundo o portal Pioneiro, o duplo homicídio aconteceu no bairro Fátima Baixo em dezembro de 2015. O julgamento durou mais de 16 horas. Claudinei era ex-namorado da filha de Simone, Camila Eduarda Costa da Silva, 26 anos, mãe da criança que foi assassinada.

O assassinato das duas foi enquadrado como homicídio qualificado e o da menina como um feminicídio. “A Justiça não foi feita. Tudo sempre mostrou que ele era o culpado” desabafa Camila. O homem sempre negou envolvimento no duplo homicídio.

Crime

As mortes aconteceram em dezembro de 2015, dentro de uma casa e o crime foi descoberto na manhã seguinte, por um vizinho que rapidamente acionou a Brigada Militar. Segundo o laudo do crime, Simone foi assassinada com 20 facadas, a menina foi atacada com 10 facadas e aparentava sinais de degolamento.

Simone Maria Almeida da Costa e a neta Emili Eduarda Costa dos Santos, de 2 anos (Foto: Reprodução / Arquivo Pessoal / Pioneiro)

A casa não apresentava sinais de arrombamento, o que levou a polícia a crer que Simone conhecia o assassino. Seis dias depois, Oliveira foi preso e permaneceu recolhido durante os últimos cinco anos. A hipótese do crime era que Oliveira pretendia roubar o dinheiro de uma residência que Simone estava vendendo, pois ela planejava deixar Caxias do Sul (RS) e se mudar para outra cidade.