Jovem descobre gravidez horas antes de dar à luz

Apesar de não ter feito acompanhamento médico, mãe e filho passam bem.

Categorias

Compartilhe

Resumo da Notícia

  • Jovem deu à luz horas depois de descobrir a gravidez.
  • Débora Julião Martins percebeu que algo estava estranho ao provar roupas em loja.
  • Apesar de não ter feito acompanhamento médico, mãe e filho passam bem.

Débora Julião Martins, de 23 anos, descobriu que estava grávida horas antes de dar à luz. A jovem, do Mato Grosso do Sul, conta que percebeu a gestação com 39 semanas quando foi ao hospital por conta de dores, que depois foi descoberto que se tratavam de contrações. Ao ir a uma loja para comprar roupas, reparou que algo estava diferente, no provador notou que não conseguia encolher a barriga, pois estava muito dura.

Mulher descobre gravidez horas antes de dar à luz (Foto: Arquivo Pessoal)

“Comecei a sentir as contrações, mas eu não sabia o que era, achei que era cólica [menstrual], então passei em uma farmácia e comprei absorvente e fui para casa. ”, disse Débora em entrevista ao portal R7. “Cheguei por volta das 15h30 e fiquei com dores muito fortes até umas 23h. Aí vi uma coisa meio gelatinosa e vermelha que saiu de mim, fiquei com medo de ser câncer ou tumor, já que eu fumava e bebia. Foi quando eu fui para o posto [de saúde]”, lembra.

Os médicos questionaram Débora sobre a possibilidade de estar grávida, mas ela negou. Perguntaram quando havia sido a última menstruação da jovem, tinha acontecido naquele mesmo dia. Segundo ela, as dores se intensificaram e ela recebeu um tratamento para infecção. “Eu estava gritando muito de dor e eles me deram morfina.” Após o episódio, Débora decidiu fazer um teste de gravidez de farmácia e, para sua surpresa, deu positivo.

-Publicidade-

Apesar de inesperado, a jovem afirma ter ficado aliviada, pois achava que poderia ser uma doença séria. Débora retornou para casa e no dia seguinte foi até a maternidade fazer o primeiro ultrassom. Momentos antes de realizar o ultrassom, a enfermeira verificou e ela estava com 4 centímetros de dilatação. Assim que o obstetra a examinou, encaminhou a mulher para a sala de parto.

Por não saber que estava grávida, a jovem não realizou o pré-natal e manteve práticas que poderiam prejudicar o bebê. “Eu bebi, fumei, e até fui para uma rave nesse tempo. Eu poderia ter tido um aborto ou qualquer outra coisa.”, disse ainda em entrevista. Segundo o obstetra Daniel Pires, que deu a entrada de Débora na maternidade, o principal risco de gestações sem o pré-natal é o nascimento prematuro. Apesar de não ter feito acompanhamento médico, mãe e filho passam bem.