‘Homem Pateta’: novo perfil das redes sociais induz crianças ao suicídio

A polícia de Santa Catarina divulgou um comunicado oficial para alertar pais 

Autor

Categorias

Compartilhe

Resumo da Notícia

  • A polícia de Santa Catarina divulgou um comunicado oficial para alertar pais  de um novo perfil nas redes sociais;
  • O Homem Pateta é mais uma “brincadeira” da internet que não acaba bem;
  • As crianças são incentivadas a se machucarem ou cometerem suicídio.

A polícia de Santa Catarina divulgou um comunicado oficial para alertar pais, professores e responsáveis de um novo perfil nas redes sociais. O Homem Pateta é mais uma “brincadeira” da internet que não acaba bem.

Homem Pateta assusta crianças na internet (Foto: Reprodução / Facebook)

As crianças são incentivadas a se machucarem ou cometerem suicídio. Os suspeitos usam o pseudônimo “Jonatan Galindo” e se identificam com imagens que lembram o Pateta, personagem da Disney, só que um aspecto deformado – lembrando aos filmes de terror. 

Os perfis surgiram em 2017 no México, e agora estão populando as contas fakes do Brasil. “Esses perfis têm poucas postagens e desafiam as pessoas a segui-los e enviar uma mensagem privada. Feito isso, é só esperar o retorno deles, que se dá através do envio de mensagens, vídeos, áudios ou até mesmo de uma ligação por vídeo ao vivo. O conteúdo da resposta tem a intenção de causar desconforto, medo e, em alguns casos, tenta provocar o suicídio”, explica o agente da polícia civil Ivan de Souza Castilhos, integrante do Núcleo de Inteligência e Segurança Institucional (NIS)

O “Homem Pateta” não é o primeiro a assustar pais e crianças na internet. No ano passado, o assustador personagem Momo aparecia em vídeos infantis ensinando, passo a passo de  como as crianças deveriam fazer para cortar os pulsos. O desafio da baleia azul e o “quebra-crânios” também causaram mortes e sérios danos psicológicos às crianças. 

-Publicidade-

Para a coordenadora das DPCAMIs (Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso) em SC, é necessário se atentar: “Você deixar um filho sozinho na internet é o mesmo que abandonar uma criança no meio da rua numa madrugada”. 

Em nota à Crescer, o Facebook informa que está investigando o caso e que páginas falsas ou com conteúdos que incentivem a automutilação estão sujeitas à remoção, de acordo com as políticas da empresa. A rede social também disponibiliza o seu Portal para Mães e Pais, com dicas para o uso do Facebook e segurança na internet.