Grávidas poderão ser impedidas de entrar nos Estados Unidos após nova regra

A medida ainda não foi confirmada pela assessoria do governo Trump

Categorias

Compartilhe

Resumo da Notícia

  • De acordo com o The Washington Post novas medidas poderão impedir a obtenção de vistos para mulheres grávidas que desejam entrar nos Estados Unidos.
  • A notícia veio através do assessor do congresso dos Estados Unidos e um funcionário anônimo do Departamento do Estado.
  • As medidas ainda não foram confirmadas pelo governo Trump.

Na última quarta-feira (23), o assessor do Congresso dos Estados Unidos e um funcionário do Departamento do Estado, de acordo com The Washington Post, comunicaram em anonimato que o governo de Trump pretende emitir novas orientações que podem dificultar a obtenção de vistos para mulheres grávidas, tornando complicada a entrada de gestantes no país. Acredita-se que essa medida faça parte da política do governo para reprimir o chamado turismo de nascimento.

Vale ressaltar que, atualmente, viajar aos Estados Unidos para dar à luz está dentro da lei. Diversos famosos brasileiros inclusive já fizeram isso, como a cantora Claudia Leitte, a digital influencer Karina Bacchi, o filho da Gretchen, Thammy Miranda e sua esposa Andressa Ferreira. De acordo com o Centro para Estudos de Imigração, cerca de 33 mil mulheres viajam por ano aos Estados Unidos para dar à luz.

Anterior Próximo

A maioria das pessoas nascidas nos Estados Unidos tem direito à cidadania estadunidense, mesmo que seus pais não sejam cidadãos locais. Não há dados exatos da quantidade de pessoas que viajam para o país com o intuito de dar à luz, pois o governo não publica estatísticas sobre o assunto. As autoridades do Departamento de Segurança Interna se recusaram a comentar sobre a nova regra e encaminhou as perguntas ao Departamento de Estado.

As diretrizes, que serão distribuídas após a emissão da ordem aos funcionários dos consulados dos EUA, terá um impacto diretamente nos vistos temporários para negócios, turismo ou tratamento médico. Somente no ano de 2018 foram emitidos 5,7 milhões de tais vistos. Segundo o funcionário de vazou a informação, as novas diretrizes não proibirão mulheres grávidas de obter vistos, a não ser que tenha o objetivo de dar à luz nos Estados Unidos. Ainda não está claro como funcionará a determinação e a verificação da gestação.

A nova medida ainda não foi confirmada oficialmente pela assessoria de Donald Trump. Ainda não se sabe exatamente como isto poderá impactar as gestantes que pretendem ir aos Estados Unidos para realizar a compra do enxoval do bebê, prática comum entre muitos países. Estima-se que os casais gastam, atualmente, cerca de 50 mil reais para ter seus filhos nos Estados Unidos.