Grávida descobre ter dois úteros e duas vaginas durante ultrassom

Condição rara de Bethany McMillin preocupou os médicos

Categorias

Compartilhe

Resumo da Notícia

  • Bethany McMillin descobriu sofrer de uma rara condição física
  • Médicos constataram que a mulher possuía dois úteros e duas vaginas
  • Contra todas as probabilidades, Bethany foi capaz de engravidar

Bethany McMillin surpreendeu os médicos durante um exame de ultrassom: constatou-se que ela possuía dois úteros e duas vaginas. A rara condição de Bethany fez com que ela sofresse um aborto durante sua primeira gravidez, em 2018, o que a deixou arrasada. De acordo com os médicos, talvez ela nunca pudesse ser mãe.

Bethany McMillin possui uma rara condição, mas conseguiu gerar uma criança saudável (Foto: Arquivo Pessoal)

A professora do ensino fundamental relembrou, em entrevista ao jornal Daily Mail, a reação do médico ao constatar que ela tinha dois úteros e duas vaginas. “Ele nunca tinha visto uma paciente com a anatomia como a minha antes, então não havia realmente nada que ele pudesse me dizer sobre isso”, disse ela. E continuou: “Pouco mais de um mês depois, fui fazer um check-up, e o ginecologista notou que também tenho um septo vaginal completo que divide minha vagina em duas seções; essencialmente, eu também tenho duas vaginas. Fiquei muito confusa. Eu nunca tinha ouvido algo assim antes, nem sabia que era possível. Não entendi como nasci assim e nunca vou saber.”

Contudo, desafiando todas as expectativas médicas, Bethany engravidou e deu à luz sua primeira filha, Maeve, em setembro de 2019. A criança nasceu completamente saudável. A nova mãe conta que esteve preocupada com o desenvolvimento da filha ao longo de toda à gestação. “Não sabia se algum médico da minha área sabia o suficiente sobre a condição do meu útero, para prestar assistência pré-natal adequada à minha situação específica. Não me deixei ter esperanças até depois das nove semanas de ultrassom, quando vi o batimento cardíaco saudável do meu bebê”, conta ela.

-Publicidade-
Bethany à espera de sua primeira filha (Foto: Arquivo Pessoal)

Bethany agora quer aumentar a conscientização sobre sua condição depois de vários meses reunindo informações sobre como lidar com ela. Ela descobriu maneiras de facilitar a vida de outras mulheres como ela – por exemplo, como usar dois tampões para cada vagina durante o período menstrual.

“Conheça seu próprio corpo”, aconselha a professora. “Essa condição é rara e pode variar muito de mulher para mulher. Há muito que se desconhece, e mesmo o que se sabe a respeito pode não se aplicar a todas as mulheres que o têm.”