“Fábrica de bebês” é descoberta em operação policial

Foram resgatadas 24 crianças e quatro adolescentes grávidas em uma maternidade ilegal

Autor

Categorias

Compartilhe

Resumo da Notícia

  • Polícia da Nigéria descobriu uma organização especializada em tráfico de bebês
  • Foram resgatadas crianças que seriam vendidas e adolescentes grávidas
  • O tráfico de pessoas é o terceiro crime mais cometido no país africano

Mães e bebês foram salvas do tráfico de pessoas na Nigéria (Foto: Sergiu Vălenaș/Unsplash)

Durante uma operação infiltrada, a polícia da Nigéria descobriu uma organização especializada em tráfico de bebês. Foram resgatadas 24 crianças de um a dois anos, e quatro adolescentes grávidas de uma maternidade ilegal na cidade petrolífera de Port-Harcourt.

Os bebês seriam vendidos por valores entre R$ 3 a 5 mil. Os pequenos do sexo masculino são vendidos a um preço maior. A Nigéria é um dos países da África com maior índice de extrema pobreza; de acordo com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), o tráfico de pessoas é o terceiro crime mais cometido na Nigéria, estando atrás de corrupção e tráfico de drogas. Um relatório da organização denunciou a existência deste crime pela primeira vez em 2006.

De acordo com o portal All Africa, o comissário de polícia local Mustapha Dandaura afirmou em entrevista coletiva que o local criminosos foi descoberto na última terça-feira (25), por volta das 15h30. Ele afirmou que os bebês estão recebendo atendimento médico na Clínica da Polícia, acrescentando que as investigações já começaram para tentar identificar outros suspeitos que estão em liberdade. “Os bebês e as adolescentes grávidas, frágeis e desnutridas, estão atualmente recebendo atendimento médico na clínica da polícia, enquanto a investigação ainda está em andamento para recuperar mais pessoas e levar os mentores à justiça”, afirmou o comissário. Ele também pediu aos moradores da região, cujos bebês estavam desaparecidos, que viessem à sede da polícia do estado para identificar e levar para casa suas crianças.

-Publicidade-

Outros casos de “fábricas de bebês” foram descobertos nos últimos anos.  As mulheres que  são levadas à cidade de Lagos, onde acabam escravizadas e estupradas. Quando engravidam, seus filhos são colocados à venda.

As mulheres costumam ter entre 16 e 28 anos. Algumas vítimas vão ao “estabelecimento” de forma voluntária.  Seja por rejeição da família quando engravidam, sendo forçadas a encontrar ajuda ou em busca de trabalho. Mas não encontram apoio ou dinheiro.