Estado de choque: mãe faz barriga de aluguel, engravida de gêmeos e casal desiste dos bebês

A mulher tinha uma vontade imensa de ajudar outras pessoas e decidiu tornar-se barriga de aluguel

Autor

Categorias

Compartilhe

Resumo da Notícia

  • Cathleen MacKenzie, 29 anos, de New Brunswick, no Canadá, é mãe de quatro filhos;
  • E com uma vontade imensa de ajudar outras pessoas, ela decidiu tornar-se barriga de aluguel;
  • A mulher conheceu um casal, iniciou o processo e quando estava grávida de gêmeos os futuros pais das crianças desistiram.

Cathleen MacKenzie, 29 anos, de New Brunswick, no Canadá, é mãe de quatro filhos. E com uma vontade imensa de ajudar outras pessoas, ela decidiu tornar-se barriga de aluguel. A mulher conheceu um casal, iniciou o processo e quando estava grávida de gêmeos os futuros pais das crianças desistiram e em um relato ao The Sun, ela falou dessa experiência.

A mãe contou que o intuito nunca foi se beneficiar: “Não se tratava de dinheiro, pois, no Canadá, as mães que fazem barriga de aluguel só podem ter as despesas reembolsadas. Eu só queria ajudar os outros”, conta Cathleen, que na época já tinha dois filhos.

Não demorou muito e um casal de britânicos, Alice e James, entraram em contato com a mulher: “Conversamos muitas vezes no Skype e Alice me pediu para ser sua substituta. Eu imediatamente disse que sim. Mas como ainda não tinha 21 anos, não tinha permissão legal para me tornar uma barriga de aluguel gestacional — onde você carrega um embrião do casal —, então, decidimos que eu seria uma mãe de aluguel tradicional, engravidando do esperma de James e do meu óvulo”, explicou.

“Eles me enviaram um contrato para assinar e definiram o calor que seria enviado mensalmente: £ 130 — o equivalente a pouco menos de R$ 1 mil —, apenas o suficiente para cobrir os custos de alimentação extra e roupas de maternidade”, lembra.

Para a barriga de aluguel, tudo parecia certo: “Conheci Alice e James pessoalmente na inseminação, e nós nos abraçamos com força. James produziu sua amostra no banheiro, antes de eu me inseminar com uma seringa. Foi estranho, mas quando o teste de gravidez deu positivo, cerca de uma semana depois, ficamos todos emocionados. No ultrassom de oito semanas, em janeiro de 2011, fiquei chocada ao descobrir que estava grávida de gêmeos”, diz. Mas o casal alegou que queria os dois filhos e ela seguiu com a gestação.

-Publicidade-
Barriga de aluguel e bebês (Foto: Reprodução/ The Sun)

Acontece que os planos mudaram durante o processo: “No entanto, comecei a ficar um pouco preocupada quando, com 12 semanas de gravidez, eles ainda não haviam pago o valor estipulado. Então, com 20 semanas, Alice interrompeu o contato. James mandou uma mensagem dizendo que ele e Alice estavam se separando, mas disse que ainda queriam gêmeos. Então, quando completei 27 semanas, James mandou uma mensagem dizendo que eles não queriam mais os bebês. Eu entrei em choque e Josh ficou furioso. Tentei ficar calma, mas estava ansiosa e lutava para dormir. Deitada, embalando minha barriga de grávida, o pânico cresceu dentro de mim. Quando aceitei ser uma substituta, nunca imaginei que os pais mudariam de ideia e me deixariam grávida de seus gêmeos”, lembra ela.

A mãe contou que ainda pensou em ficar com as crianças mas ela não tinha possibilidades de criar e então, informou o casal que colocaria os bebês para adoção e não houveram objeções. Foi então que Cathleen conheceu Sophie e Vincent, um casal local que passava pelo processo de espera para adoção.

“Eles haviam passado por todas as etapas, mas uma adoção anterior havia fracassado. Fui cautelosa, mas minha confiança aumentou e passamos pelo processo legal de adoção privada e o governo providenciou a papelada. Quando entrei em trabalho de parto prematuro, no dia 28 de junho de 2011, com apenas 33 semanas, Sophie estava ao meu lado. Enquanto ela segurava os recém-nascidos Claire e David, foi diferente de quando meus filhos nasceram – nunca senti como se os gêmeos fossem meus. Cheguei a mandar uma foto deles para Alice e James naquele dia, mas eles nunca responderam”, admite.

Os bebês passaram cinco semanas na UTI e Cathleen os amamentava à noite. “Sophie e Vincent contrataram um detetive particular para encontrar James, que cedeu seus direitos sobre os bebês. Concordamos que eles me forneceriam atualizações mensais durante o primeiro ano e, depois, anualmente. Fiquei emocionada, mas certa de que os gêmeos teriam uma vida maravilhosa. Apesar de todo o estresse, não fui impedida de ser substituta novamente. Desde então, fui uma mãe de aluguel gestacional e tradicional quatro vezes, e também tive mais dois filhos”, concluiu.