Crianças fazem cartas de apoio à cão terapeuta diagnosticado com câncer

A tutora de Apollo ficou bastante emocionada com a iniciativa

Categorias

Compartilhe

Resumo da Notícia

  • Um projeto criado para auxiliar no tratamento de crianças chamado cãoterapia tem como primeiro cachorro envolvido o Apollo.
  • Recentemente, o cãozinho foi diagnosticado com câncer.
  • O Hospital Universitário de Jundiaí colocou uma urna e, ao lado, uma foto de Apollo; o animalzinho recebeu diversas cartas de apoio feitas por crianças.

Cartas feitas pelas crianças e entregues à tutora do cão (Foto: Arquivo Pessoal/ Tatiane Keller)

É sempre bom demostrar gratidão que sentimos. As crianças têm bastante a nos ensinar quando o assunto é retribuir carinho. O cão terapeuta, Apollo, recebeu dezenas de cartinhas de apoio das crianças do Hospital Universitário de Jundiaí, interior de São Paulo, depois que ele foi diagnosticado com câncer. O local colocou uma urna na recepção com uma foto do animalzinho e uma mensagem explicando o que ele estava passando. E a iniciativa fez as crianças escreveram palavras de apoio.

O golden retriever, de 8 anos, faz parte da equipe do projeto “Cãoterapia” do hospital há dois anos. O cãozinho sempre recebeu muito carinho das crianças, dos pais e funcionários do local. Larissa Hoffmann Antunes, de 29 anos, é a tutora de Apollo e procurou o hospital em 2018 para voluntariar no projeto. O sucesso foi tão grande que o animal virou um verdadeiro companheiro dos pacientes.

O cãozinho é o primeiro a fazer parte da “cãoterapia”, em Jundiaí. O animal tem autorização para ficar na brinquedoteca e na recepção do hospital, nunca dentro da unidade. As condições envolvem banho antes de ir até a unidade, vacinas em dia e um laudo veterinário. “Tem toda uma burocracia, afinal, é um cachorro dentro de um hospital”, explica a coordenadora do voluntariado, Tatianne Keller, em entrevista para Razões Para Acreditar.

Crianças fazem cartas de apoio à “cãoterapeuta” diagnosticado com câncer (Foto: Arquivo Pessoal/ Tatiane Keller)

Recentemente, Apollo foi diagnosticado com um tumor na mandíbula e precisou passar por uma cirurgia. Por causa do tratamento, ele precisou se afastar temporariamente do hospital, o que não mudou nem um pouco o carinho que as crianças sentem pelo amigo. A coordenadora do voluntariado da unidade, Tatianne Keller, criou a ação para levar boas vibrações à Apollo.

A urna colocada na recepção do hospital gerou dezenas de cartas de apoio e agradecimentos. Os escritos foram entregues à tutora Larissa. Felizmente, Apollo recebeu alta e deve voltar ao projeto em fevereiro – para a alegria da dona e das crianças. “Eu não sei nem descrever o que eu senti enquanto lia todas aquelas mensagens das crianças, aquelas boas energias, o carinho que as crianças, funcionários, os pais e mães das crianças têm pelo Apollo. Fiquei muito emocionada. É muito bom ver o quanto ele é querido. É muito bom ver que o nosso trabalho tem dado resultado. Isso nos deixou com ainda mais vontade de fazer bem a essas crianças, de levar alegria para o hospital”, conta em entrevista.