Corpo de criança desaparecida em Minas Gerais é encontrado em lagoa

Ainda não se sabem as causas da morte de Eduardo Ferreira de Oliveira, de 2 anos

Categorias

Compartilhe

Resumo da Notícia

  • Eduardo Ferreira de Oliveira, de 2 anos, desapareceu na última quarta-feira (12)
  • O corpo da criança foi encontrado pela equipe do Corpo de Bombeiros, após mais de 50 horas de buscas
  • As irmãs mais velhas de Eduardo, de 16 e 14 anos, que acionaram a polícia e alertaram sobre o desaparecimento do irmão caçula

Na manhã desta sexta-feira (14), foi encontrado o corpo de Eduardo Ferreira de Oliveira, de 2 anos, que havia desaparecido na região de Juatuba, Minas Gerais. Moradores do local avistaram a criança boiando dentro de uma lagoa e alertaram o corpo de bombeiros e a Polícia Civil, que segue investigando o caso para averiguar quais foram as causas da morte do menino.

“Acabou de amanhecer o dia, o caseiro que olha lá saiu correndo, aí eu desci com o bombeiro que estava lá e vi meu menino. Nós tínhamos esperança de achar vivo, né? Que alguém tinha pegado ele, levado ele e devolvesse pra nós”, disse o pai da criança, Valdeilton de Oliveira, em entrevista ao portal G1. Agora, o corpo de Eduardo será encaminhado para o Instituto Médico-Legal (IML) de Betim.

A casa em que a família mora fica na região da Alameda Flamboyant, na Vila Maria Regina, uma área urbana apesar da proximidade com uma mata e três lagoas. As buscas por Eduardo começaram na quarta-feira (12), quando a ausência do menino foi notada pelas duas irmãs dele, de 14 e de 16 anos, que estavam em casa. As adolescentes perceberam a ausência de Eduardo dentro do imóvel, que não tem muros, e fica a cerca de 150 metros da lagoa onde o corpo dele foi achado.

A Polícia Militar foi chamada pouco antes das 11h do dia do desaparecimento de Dudu, como era carinhosamente chamado pelos familiares. Uma das irmãs mais velhas de Eduardo ligou para o 190. Segundo o boletim de ocorrência, ela contou aos policiais que mais cedo tinha ido a um laboratório no centro de Juatuba com o menino e a outra irmã para passar por exames. Ao voltar para casa, elas começaram a assistir televisão enquanto o caçula brincava no quintal.

-Publicidade-

Em determinado momento, a adolescente alertou a irmã de que Eduardo estava muito quieto, saindo, então, da casa para ver o que estava acontecendo. Foi quando elas viram que o portão estava aberto e começaram a procurar o menino. Como não encontraram, entraram em contato com a polícia.

Foram mais de 50 horas de buscas desde o sumiço de Eduardo. A operação, conduzida pelo Corpo de Bombeiros local, envolveu o uso de drones e cães farejadores. “O menino é esperto demais. Ele tem dois anos e pouco. Fez dois anos em outubro. Esse menino andou com nove meses, fala tudo. Precisa de ver como ele é esperto”, comentou a avó do garoto, Clemência Rosa de Oliveira na ocasião do desaparecimento de Eduardo.