Coronavírus: criança está sob observação no interior da Bahia

Recentemente, o bebê foi para a Europa com a família

Categorias

Compartilhe

Resumo da Notícia

  • Uma criança, que tem menos de um ano, está sob investigação pela possibilidade de ter sido contaminada pelo coronavírus
  • Recentemente, ela esteve na Europa em uma viagem com a família
  • Eles são moradores da cidade de Itabuna, na Bahia, e estão sob responsabilidade da Secretaria de Saúde do Estado (Sesab)

Uma criança, que tem menos de um ano, está sob investigação pela possibilidade de ter sido contaminada pelo coronavírus. Recentemente, ela esteve na Europa em uma viagem com a família. Eles são moradores da cidade de Itabuna, na Bahia, e estão sob responsabilidade da Secretaria de Saúde do Estado (Sesab).

A criança está em isolamento (Foto: Unsplash)

Atualmente, o bebê está em um isolamento no Hospital Manoel Novaes e a equipe médica está seguindo os protocolos necessários e recomendados pelo Ministério da Saude. Além da criança, houve outro caso na cidade, mas que já foi descartado pela secretaria. Uma freira que havia visitado a Itália apresentava sintomas da doença, mas foi diagnosticada com H1N1.

“Os pacientes encontram-se estáveis, em isolamento (respiratório/contato) dentro das unidades, não ocasionando riscos para nenhum outro paciente internado na instituição, bem como para nenhum de seus colaboradores. A vigilância epidemiológica está monitorando os contatos dos pacientes e adotando as medidas de precaução cabíveis até que o diagnóstico seja definido”, relatou a Sesab, por meio de uma nota.

Saiba como se prevenir

-Publicidade-

De acordo com o Ministério da Saúde, os coronavírus são uma grande família viral que causa infecções respiratórias em seres humanos e em animais. Os vírus receberam esse nome devido às espículas na sua superfície, que lembram uma coroa. Os primeiros coronavírus humanos foram inicialmente identificados em meados da década de 1960.

Os coronavírus humanos causam doença respiratória, de leve a moderada, no trato respiratório superior – seus sintomas podem ser confundidos facilmente com os de uma gripe comum: febre, tosse e dificuldade para respirar. O diagnóstico é feito a partir da coleta e análise de amostra de materiais respiratórios com potencial de aerossolização – traduzindo, do catarro da tosse ou do espirro.

Para se prevenir, a recomendação do Ministério da Saúde é a mesma feita para a prevenção de infecções respiratórias agudas. São elas:

  • evitar contato próximo com pessoas que sofrem de infecções respiratórias agudas;
  • lavar as mãos com frequência, especialmente após contato direto com pessoas doentes ou com o meio ambiente;
  • utilizar lenço descartável para higiene nasal;
  • cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;
  • evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
  • higienizar as mãos após tossir ou espirrar;
  • não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;
  • manter os ambientes bem ventilados;
  • evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas da doença;
  • evitar contato próximo com animais selvagens e animais doentes em fazendas ou criações.