Coronavírus: Criança de dois anos é o único caso suspeito da doença no Brasil

A notícia foi divulgada pelo Ministério da Saúde que está bastante atento ao surto ocorrido na Chima

Categorias

Compartilhe

Resumo da Notícia

  • O Ministério da Saúde divulgou que há apenas um caso suspeito de coronavírus no Brasil
  • A criança de dois anos está internada e passará por exames
  • Até o momento, nenhum caso de coronavírus foi confirmado na América do Sul.

A epidemia do coronavírus tem assustado pessoas ao redor do mundo todo. Atualmente, no Brasil existe apenas um caso suspeito do novo vírus: uma criança de dois anos de idade. No momento, ela se encontra em São Paulo e, por ter um histórico de viagem à China, está em observação. Em Brasília, o Ministério da Saúde informou a suspeita na tarde da última quinta-feira (20).

Coronavírus: Criança de dois anos é o único caso suspeito da doença no Brasil (Foto: Unsplash)

O órgão está bastante atendo ao surto ocorrido da China e trabalha com a possibilidade de aumento de casos suspeito. A partir do final de abril, as doenças respiratórias começam a aparecer no país. Ainda assim, o secretário de Vigilância em Saúde do ministério, Wanderson de Oliveira, afirma que medidas estão sendo tomadas para frear o aparecimento de casos suspeitos. Entre elas, a quarentena imposta. Entretanto, o aumento não é descartado.

“Não quer dizer que não possa aumentar. Podemos ter mudanças de definição de casos no futuro se um outro país entrar como área e transmissão ocidental. É muito dinâmico e prematuro dizer que vai continuar baixo”, disse Wanderson em entrevista ao R7 de notícias. Ainda de acordo com o ministério, os exames estão sendo feitos e casos suspeitos são descartados rapidamente.

Até o momento, nenhum caso de coronavírus foi confirmado na América do Sul. Conforme dados da Universidade Johns Hopkins, dos Estados Unidos, foram contabilizados 75.778 casos no mundo e 74,5 mil apenas na China.

Coronavírus: tire suas dúvidas

e acordo com o Ministério da Saúde, os coronavírus são uma grande família viral que causa infecções respiratórias em seres humanos e em animais. Os vírus receberam esse nome devido às espículas na sua superfície, que lembram uma coroa. Os primeiros coronavírus humanos foram inicialmente identificados em meados da década de 1960.

Os coronavírus humanos causam doença respiratória, de leve a moderada, no trato respiratório superior – seus sintomas podem ser confundidos facilmente com os de uma gripe comum: febre, tosse e dificuldade para respirar. O diagnóstico é feito a partir da coleta e análise de amostra de materiais respiratórios com potencial de aerossolização – traduzindo, do catarro da tosse ou do espirro.

Para se prevenir, a recomendação do Ministério da Saúde é a mesma feita para a prevenção de infecções respiratórias agudas. São elas:

  • evitar contato próximo com pessoas que sofrem de infecções respiratórias agudas;
  • lavar as mãos com frequência, especialmente após contato direto com pessoas doentes ou com o meio ambiente;
  • utilizar lenço descartável para higiene nasal;
  • cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;
  • evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
  • higienizar as mãos após tossir ou espirrar;
  • não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;
  • manter os ambientes bem ventilados;
  • evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas da doença;
  • evitar contato próximo com animais selvagens e animais doentes em fazendas ou criações.