Coronavírus: bebê nasce em zona de quarentena após pai ser diagnosticado com a doença

Caso aconteceu no hospital Wuhan, na China

Categorias

Compartilhe

Resumo da Notícia

  • Um bebê nasceu na zona de quarentena do coronavírus.
  • O pai da criança foi diagnosticado com a doença e a mãe está sob suspeita.
  • O médico afirma que o bebê nasceu saudável.

No Hospital da União, em Wuhan, China, um bebê cujo o pai foi diagnosticado com coronavírus nasceu em zona de quarentena. Com a avanço da epidemia, os hospital estão precisando se adaptar. Os médicos fizeram o parto usando roupas especiais e óculos de proteção para não serem contaminados com o vírus. A medida foi necessária porque, além do pai, a mãe está sob suspeita.

Coronavírus: bebê nasce em zona de quarentena após pai ser diagnosticado com a doença (Foto: Reprodução/Asia Wire)

De acordo com o Daily Mail, o menino nasceu no último sábado (1) pesando três quilos. Uma foto foi tirada no hospital para registrar o momento. Na imagem, o bebê aparece no colo do médico Song Bo, que afirmou que o recém-nascido veio ao mundo saudável. Tal zona de quarentena do hospital é determinada para grávidas diagnosticadas com o coronavírus ou que estão sob suspeita.

As autoridades locais informaram que o governo está oferecendo suprimentos aos hospitais – máscaras e outros equipamentos de segurança. Muitas pessoas estão comprando máscaras para usar na rua. Segundo o Daily Mail, o número de mortos por coronavírus subiu para mais de 360 pessoas e já ultrapassa 17 mil o número de infecções.

Coronavírus: tire suas dúvidas 

-Publicidade-

De acordo com o Ministério da Saúde, os coronavírus são uma grande família viral que causa infecções respiratórias em seres humanos e em animais. Os vírus receberam esse nome devido às espículas na sua superfície, que lembram uma coroa. Os primeiros coronavírus humanos foram inicialmente identificados em meados da década de 1960.

Os coronavírus humanos causam doença respiratória, de leve a moderada, no trato respiratório superior – seus sintomas podem ser confundidos facilmente com os de uma gripe comum: febre, tosse e dificuldade para respirar. O diagnóstico é feito a partir da coleta e análise de amostra de materiais respiratórios com potencial de aerossolização – traduzindo, do catarro da tosse ou do espirro.

Para se prevenir, a recomendação do Ministério da Saúde é a mesma feita para a prevenção de infecções respiratórias agudas. São elas:

  • evitar contato próximo com pessoas que sofrem de infecções respiratórias agudas;
  • lavar as mãos com frequência, especialmente após contato direto com pessoas doentes ou com o meio ambiente;
  • utilizar lenço descartável para higiene nasal;
  • cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;
  • evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
  • higienizar as mãos após tossir ou espirrar;
  • não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;
  • manter os ambientes bem ventilados;
  • evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas da doença;
  • evitar contato próximo com animais selvagens e animais doentes em fazendas ou criações.