Chuvas em SP: Grávida de cinco meses vive momentos de desespero ao ver sua casa desabar

Caso aconteceu em Botucatu, interior do Estado; cidade foi uma das mais afetadas pelos temporais do começo desta semana

Categorias

Compartilhe

Resumo da Notícia

  • Casa de Stefanie Caroline Vasquez, que está no quinto mês de gestação, desmoronou nesta segunda-feira (10)
  • O acidente foi provocado pelas fortes chuvas que atingem o Estado de São Paulo desde o fim de semana
  • “Ficamos muito assustados”, relembra a moradora de Botucatu, uma das cidades mais atingidas pelos temporais

Stefanie Caroline Vasquez está no quinto mês de gestação. Além das preocupações típicas desta fase da gravidez, a futura mãe teve que lidar com uma situação grave nesta segunda-feira (10): a casa em que mora com o marido e a filha foi destruída pelas fortes chuvas que atingiram a cidade de Botucatu, no interior de São Paulo. As tempestades também fizeram grandes estragos em outras regiões do Estado, como a capital paulista.

Em entrevista à emissora de televisão local TV Tem, afiliada da Rede Globo, Stefanie relembrou os momentos de tensão que precederam o desabamento de sua casa. “Nós estávamos dormindo quando escutamos o barulho da parede. Um pedaço caiu e a água começou a entrar. Só deu tempo de pegar minha filha no colo, acordar meu marido e correr. Logo vimos pela janela que o rio já estava bem alto. Ficamos muito assustados”, relembra ela.

Chuvas em SP: casa de moradora de Botucatu é destruída pelas fortes chuvas que atingiram todo o Estado (Foto: Reprodução/TV Tem)

O imóvel, assim como vários outros na mesma região, foi interditado pela Defesa Civil. Apesar dos danos, Stefanie agradece por ter apenas prejuízos materiais. “Graças a Deus estamos todos bem. Utensílios e bens materiais nós recuperamos”, disse ela.

Botucatu: após fortes chuvas, casa de grávida desmorona (Foto: Reprodução/TV Tem)

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) registrou nesta segunda-feira 114 milímetros de precipitação na estação do Mirante de Santana, zona norte da capital paulista. É o segundo maior volume de chuva em São Paulo para um mês de fevereiro, em 24 horas, em 77 anos. Diante dos transtornos causados pela forte chuva, a Defesa Civil chegou a recomendar que os paulistanos ficassem em casa.

-Publicidade-

Na capital paulista, a chuva mais forte começou no final da tarde do domingo (9) e permaneceu firme ao longo de toda a segunda-feira. Considerando todos os meses do ano, este foi o oitavo maior acumulado em 24 horas de toda a história de medições do Inmet.

A Secretaria de Educação do Estado de São Paulo suspendeu as aulas desta segunda-feira (10) em 37 escolas, de um total de pouco mais de 5 mil unidades, em função das fortes chuvas que atingiram a capital paulista desde a madrugada. O conteúdo das aulas será reposto futuramente.

De acordo com a Agência Brasil, a secretaria informou que as consequências das chuvas serão monitoradas pelas respectivas diretorias regionais de Ensino, para a tomada das devidas providências e obras emergenciais. “Não serão realizadas atividades de avaliação, introdução de novas habilidades ou qualquer atividade relevante que venha a prejudicar aqueles que não tenham conseguido chegar às escolas”, pontuou o órgão, em comunicado oficial.