Bebê tem marca de nascença no formato do ultrassom de irmão gêmeo morto

Os médicos descreveram a situação como síndrome do desaparecimento dos gêmeos

Categorias

Compartilhe

Resumo da Notícia

  • Um bebê, que morreu e desapareceu no útero, deixou seu irmão gêmeo com uma marca de nascença incrível, semelhante à sua própria imagem que apareceu no ultrassom
  • O pequeno Payelon Givens tem uma marca de nascença no joelho em forma de castanha de caju
  • Os médicos descreveram a situação como síndrome do desaparecimento dos gêmeos

Um bebê, que morreu e desapareceu no útero, deixou seu irmão gêmeo com uma marca de nascença incrível, semelhante à sua própria imagem que apareceu no ultrassom. O pequeno Payelon Givens tem uma marca de nascença no joelho em forma de castanha de caju.

A mãe, KisLevonia Givens, de 28 anos, ficou com o coração partido quando os médicos revelaram que o outro bebê havia desaparecido quando ela estava grávida de 13 semanas. “As especialistas não conseguiram encontrar o batimento cardíaco. A bebê estava crescendo em um ritmo muito mais lento do que o irmão”.

O pequeno nasceu com uma marca da irmã no joelho (Foto: Reprodução/Daily Mail)

Os médicos descreveram a situação como síndrome do desaparecimento dos gêmeos, um fenômeno no qual um feto é absorvido pelo corpo de sua mãe ou irmão. O caso aconteceu em Louisiana, nos Estados Unidos. “Sinto conforto por saber que Patience deixou sua marca na perna do irmão”, disse a mãe.

Foi uma surpresa quando Givens, designer de roupas, soube que estava grávida de gêmeos no ano passado, pois já tinha quatro filhos em casa. Quando ela compareceu à sua primeira consulta com os médicos, recebeu dois “pacotes” de boas-vindas”, sendo informada de que eram para ambos os bebês.

Ela presumiu que o membro da equipe havia dado o presente para sua filha de dois anos, já que ninguém tinha mencionado que ela esperava gêmeos. Payelon só descobriu que esperava duas crianças quando estava com nove semanas de gravidez, totalizando seis filhos. Mas, semanas depois, o doutor constatou que um dos embriões era muito menor e lutava para prosperar.

“Quando eu estava de 13 semanas, eles ouviram apenas um batimento cardíaco. Um dos bebês estava ficando maior que o outro. Ele provavelmente estava recebendo mais nutrição do que o outro bebê, o que fez o outro parar de crescer.  Sempre que eu passava pelo ultrassom, o outro feto era mais leve que o outro”, contou a mãe.

“Fui a três ou quatro centros de gravidez querendo uma resposta diferente, mas todos me deram a mesma. Entre dois e quatro meses, passei por 12 exames para ver diferentes técnicos e especialistas em ultrassom. No exame de 13 semanas, os médicos deram a notícia de que o segundo feto, que era minúsculo, do tamanho de uma ameixa, havia morrido a cerca de 11 semanas”.

Givens, que nomeou o bebê perdido de Patience, foi informada de que a bebê não era mais visível nas imagens. “O tecido provavelmente tinha sido absorvido por seu irmão. Eles o rotularam como um gêmeo desaparecido. Eu chorei muito. Quando eles me contaram o que tinha acontecido, eu lia todas as noites. Eu não pude acreditar. Eu tinha tantas perguntas porque nunca tinha ouvido falar que isso poderia acontecer”.

Agora, ela desfruta a vida como uma nova mãe mais uma vez e consegue encontrar conforto ao saber que a irmã de Payelon sempre estará com ele. O pequeno carregará para sempre a memória da gêmea que ele nunca conheceu em sua pele.