Bebê tem cabeça arrancada durante parto e família acusa médicos de negligência

A instituição abriu uma investigação e afastou os funcionários

Autor

Categorias

Compartilhe

Resumo da Notícia

  • Uma família que vive no estado do Pará denunciou a Santa Casa de Misericórdia, em Belém, por arrancar a cabeça de um bebê durante o parto;
  • O caso aconteceu na última sexta-feira (16);
  • A instituição abriu uma investigação e afastou os funcionários.

Uma família que vive no estado do Pará denunciou a Santa Casa de Misericórdia, em Belém, por arrancar a cabeça de um bebê durante o parto. O caso aconteceu na última sexta-feira (16). A instituição abriu uma investigação e afastou os funcionários.

De acordo com o marido em entrevista ao Uol, a gestante estava com oito meses quando precisou ir ao hospital local, onde foi transferida a Santa Casa sob a condição de realizar uma cesariana para a retirada do bebê. No entanto, segundo o boletim de ocorrência, a jovem grávida esperou por mais de três horas até ser levada para a sala de parto.

E ainda assim, os médicos optaram pelo parto normal: “Eles não deram ouvidos e ficaram mandando ela (sic) fazer força. Fizeram tanta força que a cabeça veio na mão da enfermeira e depois caiu no chão. Só operaram depois, para tirar o resto do corpo”, lamentou.

A mãe precisou ser sedada para a retirada do corpo do bebê. “Ela sabe que a criança morreu, mas não em que circunstâncias. “Achamos melhor não contar para ela ainda. Vamos deixar ela (sic) melhorar para contar”, disse o marido.

-Publicidade-
Bebê perde a cabeça durante parto (Foto: Reprodução/ Freepick)

Em nota, a Santa Casa do Pará informou que lamenta profundamente o ocorrido e que a gestante vinda de Ourém recebeu atendimento da equipe assim que deu entrada. Em relação ao bebê, o texto diz que, “por ser prematuro e de múltiplas deformações fetais e apresentar tecido amolecido, foram realizadas diversas manobras para a retirada do mesmo, ainda assim houveram (sic) complicações na extração fetal”.

Ainda assim, o hospital investiga o caso, assim como a Polícia Civil, que busca pontuar as eventuais punições.